Os círculos do Apple Watch tem me ajudado a manter em dia os exercícios físicos

ATIVIDADE FÍSICA, TECNOLOGIA E DIAS DE QUARENTENA

Uma das minhas primeiras preocupações com o isolamento social nos dias de quarentena foram as atividades físicas. Há anos adotei os exercícios, que faço moderadamente, como princípio de vida. Com o isolamento, imaginei que eles seriam prejudicados e não poderia desenvolvê-los da mesma forma que antes, com liberdade de ir e vir.

De início, tive mesmo dificuldades. Como caminhar se não podia ir para a rua? E, mais ainda, como treinar em casa, sem o acompanhamento da minha instrutora? Nos primeiros 15 dias as atividades praticamente cessaram. E foi então que descobri ser possível, sim, caminhar dentro de casa, fazendo um circuito de pelo menos três quilômetros no ir e vir por salas, quartos, cozinha e corredores.

TECNOLOGIA AJUDA

No recomeço e no desenvolvimento, mais tarde, a tecnologia me ajudou. No ano passado ganhei de presente um relógio da Apple. Sou usuário de outros equipamentos da empresa, mas nunca tinha visto maior utilidade para o relógio. Mas como foi meu filho quem o presenteou, senti-me obrigado a usá-lo.

No uso diário descobri que ele tem acompanhamento diário de atividades físicas e inúmeros lembretes de como você as está desenvolvendo. Comecei por usar o aviso de levantar-me e andar, evitando ficar sentado direto, na frente do computador. Em seguida, veio a medição dos passos, para determinar a distância que estava caminhando.

MAIS ATIVIDADES

Pouco mais de duas semanas depois do início do isolamento, que começou no dia 15 de março, minha instrutora ofereceu treinos on line, feitos através do Instagram. Dispus-me a experimentar e a fazer um deles, mas como eram genéricos, acabavam não atendendo minhas necessidades.

Duas semanas depois, já pelo WhatsApp, ela se propôs a voltar com os treinos individuais. Aceitei na hora e recomeçamos. Treino três vezes por semana e a rotina, embora fora da academia, foi restabelecida. Este era o meu ritmo de atividades semanais: treino e caminhadas. No caso destas últimas, a pandemia me pegou tentando aumentá-las para quatro vezes por semana.

TODOS OS DIAS

O que aconteceu foi: a tecnologia acabou ajudando a me movimentar mais. Primeiro, através dos avisos do relógio. Em seguida, com os treinos on line. Os dias de caminhada aumentaram, passando de três para quatro vezes por semana. Os treinos continuaram no mesmo padrão, de três vezes por semana.

A antevisão dos primeiros dias, de inatividade e de dificuldade para se exercitar, acabaram. A tecnologia me ajudou a criar um novo padrão de atividades físicas, medidas não com o percurso que faço caminhando, mas com tempo. Hoje, faço pelo menos 30 minutos de exercícios todos os dias.

E fui um pouco mais além: estabeleci um limite mínimo de calorias para queimar diariamente, que tenho ultrapassado nos últimos dois meses e meio. Os círculos, que o relógio controla, mostra que tenho cumprido três objetivos: exercitar-me diariamente e, como consequência, gastar colorias e ficar mais em pé, saindo da frente do computador.

O isolamento social está me proporcionando novos hábitos. No caso das atividades físicas, espero ter internalizado a nova rotina e pretendo seguir com ela quando as coisas voltarem ao “novo normal” e puder me movimentar livremente fora de casa.

Compartilhe:

Twitter
Facebook
LinkedIn
Pinterest

Entre na conversa