Os números impressionantes da tecnologia que não vemos

VIVENDO NA MATRIX: A VIRTUALIZAÇÃO DA VIDA HUMANA

A trilogia Matrix nos mostra um mundo distópico em que os humanos vivem virtualmente. Ficção? Em se tratando do filme, sim. Olhando-se para o mundo de hoje e como nele vivemos, é parcialmente realidade, como mostram os números levantados pela Domo e divulgados pelo Visual Capitalist.

A tecnologia que não vemos, consubstanciada na Internet, nos aplicativos e nos dispositivos móveis, está transformando nossas vidas em virtuais, cada vez mais. Os números demonstram que a virtualização é uma realidade. Tome-se apenas o primeiro exemplo, do Zoom. A cada minutos nada menos que 208 mil anfitriões abrem uma sala nele e começam uma conversa virtual.

Parece muito, não é? Mas é um número pequeno comparado com o WhatsApp que, por minuto, recebe 41 milhões de novas mensagens. Nos dois casos, são números exponenciais e nos dão uma visão de como usamos a tecnologia, mesmo sem perceber que a estamos usando, já que entranhada em nossas vidas.

NÚMEROS IMPRESSIONANTES

Talvez você não tenha ouvido falar do Reddit, portal comunitário com os mais variados assuntos, acessado por mais de 479 mil pessoas a cada minuto e sou um deles. Nesse mesmo padrão vem o Instagram, que a cada minuto recebe 347 mil diferentes stories, mais de 20 milhões a cada hora.

O Facebook que é, dentre os aplicativos que agregam pessoas um dos maiores, recebe 147 mil fotos por minutos, quase 9 milhões por hora. Mudando do texto e de fotos para os vídeos os números não ficam menos impressionantes. Na Netflix, a cada minuto são vistos 400 horas de vídeo e esse número é maior no Youtube chegando a 500 horas por minuto.

Ao lado desses aplicativos, temos milhares de outros e todos tem considerável acesso. O compartilhamento, seja qual for, acaba criando um imenso mercado para compras, entretenimento, jogos, transferência de dinheiro e entregas, dentre outros. É a vida sendo virtualizada, de certa forma, semelhante ao que ocorre na Matrix. E nós somos os primeiros a engajar nessa virtualização, já que estamos, de um ou outro modo, mais e mais dependentes do on line que a Internet e a tecnologia nos proporciona.

A virtualização nos traz um lado bom, se olharmos em relação à informação e às facilidades de comunicação, de interação e de compras, dentre outras facilidades que nos oferece. Mas há, também, um outro lado, composto por aqueles que não tem acesso a este tipo de tecnologia, que não são poucos.

O LADO DOS DESPOSSUÍDOS

Segundo o Virtual Capitalist 4,5 bilhões de pessoas estão conectadas à Internet. Como a Terra tem 7,5 bilhões de habitantes, é só fazer a conta e ver que quase 43% estão fora dela, o que os torna, em princípio, cidadãos de segunda classe. Como já disseram, a tecnologia não é boa, nem má. O que determina sua classificação é o uso.

Hoje, como vivemos, bilhões se beneficiam do que a tecnologia nos oferece. Mas bilhões estão excluídos. Temos um lado positivo e um negativo. O fosso entre os que tem e os que não tem está se alargando, transformando-os mais e mais em despossuídos. Como disse o primeiro ministro do Canadá, Justin Trudeau, acesso à internet e à conexões de alta velocidade hoje é um direito de cada cidadão.

E o amanhã, como será? Não dá para prever o futuro, mas olhando o avanço da virtualização podemos dizer que ela irá avançar, colocando-nos em um mundo virtual, tal como o de Matrix. Será que viveremos em uma distopia? Só o futuro é que nos dirá.

Compartilhe:

Twitter
Facebook
LinkedIn
Pinterest

Entre na conversa