TECNOLOGIA, MUDANÇA E PROFISSÕES

O mundo muda e a tecnologia, muitas vezes, apressa a mudança. Com ela, novas profissões são criadas. E antigas, perecem. É o que acontece com um conhecido. Radiotécnico, viu sua profissão morrer e hoje não mais consegue tirar dela o seu sustento. Está buscando emprego, mas o que ele sabe fazer não é desejado pelo mercado. O que fazer? O caminho é se reciclar, e de forma permanente. De outro lado, o blog teve problemas, que foram sanados, mas implicaram em algumas mudanças. Cheque no texto completo.

O mundo caminha. E muda. Constatei isso – o que, aliás, já sabia – ao visitar uma exposição sobre os 200 anos da indústria no Brasil. Nela, há um panorama da evolução industrial, da produção individual, manual à utilização dos mais modernos robôs, capazes, por exemplo, de fazer um desenho muito bom reproduzindo um dos símbolos do Espírito Santo, que é o Convento da Penha.

O que a exposição mostra é que a tecnologia muda tudo e com a mudança atinge as pessoas. Estão lá as tecnologias de impressão, começando pelos tipos móveis, passando pelos fixos, chegando ao linotipo e daí à composição a frio, adotada a partir dos anos 60 e 70 do século passado. Estão lá também a evolução da manufatura, principalmente na área de têxteis, que vão da fiação manual aos complexos teares capazes de produzir os mais variados tecidos.

A exposição é ótima e aconselho a quem puder que vá vê-la. Gostei muito, mas sai de lá refletindo sobre as mudanças que a tecnologia provoca e em aspectos que nem sempre são abordados, como a perda de empregos, o fim de profissões antigas, centenárias às vezes e o nascimento de novos tipos de trabalho, um assunto já abordado no blog.

E a reflexão veio no bojo de um drama pessoal, vivido por alguém que está muito próximo. Com um negócio próprio, que o ajudou a criar a família, um conhecido meu descobriu, de repente, que não há mais mercado para o que ele faz. A profissão que escolheu e que lhe deu sustento foi a de radiotécnica. Durante anos teve uma das mais frequentadas oficinas de conserto de rádios e aparelhos similares.

Aos poucos, no entanto, as coisas foram mudando. Os rádios já não dão problemas e quanto os têm, é melhor descartá-los e comprar um novo. Consertar? Quem é que vai pensar nisso se custam tão baratos? O fato é que, aos poucos, o negócio foi minguando e hoje só dá prejuízo. E meu conhecido não mais consegue viver da profissão que escolheu. A oficina, ao invés de lucro, dá prejuízo. A tecnologia, que alavancou sua vida, agora lhe tira a profissão.

Este é apenas um exemplo. Quantos, ao longo dos últimos anos e com a mudança de tecnologia não perderam o emprego, viram suas profissões terminarem, ficaram sem o que fazer? Certamente muitos. O pior de tudo é que como a mudança é gradativa, as pessoas não se preparam para elas. E quanto são atingidas acabam ficando meio sem rumo, não sabendo o que fazer.

É o que está acontecendo com o meu conhecido. Hoje, ele está à procura de um emprego. Mas o que sabe fazer não é mais necessário, requisitado. E para piorar as coisas, ele não é mais jovem para recomeçar. O drama é real. E nele sofrem a família, os familiares, os amigos. Neste caso, todos estão mobilizados para conseguir um emprego para o meu conhecido. Mas estão tendo problemas.

A pergunta que fica, vendo o acontecido, é se estamos preparados ou nos preparando para a mudança que a tecnologia nos traz? Agora, estou escrevendo em um computador, que foi um avanço em relação à máquina de escrever manual, substituída pela elétrica, depois pela eletrônica e chegamos ao notebook, ao computador portátil. Fiz toda essa transição. Mas quantos a fizeram? Quantos conseguiram mudar com a tecnologia mantendo seu trabalho, sua profissão?

O mundo vai continuar andando. E não se adapta a nós, que temos de nos adaptar a ele. Neste caso, é a lei da sobrevivência: adaptar ou morrer.

Problemas com o blog

Talvez você tenha tentado acessar o blog e tenha dado com uma página sem artigos. Sim, houve um problema com a base de dados do domínio e isso fez com que os posts sumissem. Felizmente, e graças à ação dos técnicos responsáveis pela hospedagem tudo voltou ao normal.

O que ficou, no final, foi a descoberta de que alguns plugins acabam causando problemas. Neste caso, algumas das facilidades criadas aqui nos últimos tempos, deixarão de existir. É o caso, por exemplo, do último post do blog de quem comenta nos comentários. E é, também, – por enquanto – o dos artigos relacionados.

Peço que entendam. E aviso que, aos poucos, novas facilidades serão acrescentadas, mas, desta vez, com plugins que sejam eficientes e que não causem problema ao blog.

Compartilhe:

Twitter
Facebook
LinkedIn
Pinterest

8 Respostas

Entre na conversa