Fotos e lembranças retomadas nos dias de quarentena

FOTOS, LEMBRANÇAS E DIAS DE QUARENTENA

Fotos antigas nos traz ótimas lembranças e, nos dias de quarentena, podemos nos dedicar a elas e é o que estou fazendo, mergulhando em velhas fotografias que compõem parte da história da família e os primeiros anos de meus filhos.

Mesmo sem a mesma facilidade de hoje, acumulamos, eu e minha esposa, alguns milhares de fotos, nelas incluídas as da infância de nossos filhos. A cada passo que dou na digitalização destas fotos, novas lembranças, sorrisos, e a volta da sensação que sentia quando os filhos eram pequenos.

Nelas, estão os banhos de milha filha nua na garagem da primeira casa que ocupamos. As primeiras fotos do nosso filho, assim que chegamos em casa da maternidade e de seu primeiro banho. E muitas, muitas, outras: festas, brincadeiras, viagens, momentos ternos que repassam um pedaço de nossas vidas.

LAÇOS FIRMES

Nelas estão, também, recordações de viagens, no Brasil e fora dele, envolvendo as crianças. Nelas, eles guardaram belas histórias, além de conhecer locais, gente e costumes diferentes. São lembranças que ficaram e continuarão pelo resto da vida. A propósito, batizamos algumas dessas viagens de “férias frustradas”, relacionadas ao filme. Mas hoje, olhando em perspectiva, foram elas que nos aproximaram ainda mais de nossos filhos e fizeram com que nossos laços de mantivessem firmes e se estreitassem.

E mais, existem viagens que fizeram sozinhos e outras que eu e minha esposa estávamos sem a companhia deles. Todos elas nos trouxeram histórias e nos fazem relembrar momentos bons, engraçados e em que nos divertimos e aumentamos nossos conhecimentos do mundo.

Não existe uma foto que não nos recorde de algo, de um detalhe da viagem, do comportamento dos “meninos”, e dos bons momentos que vivemos e das ótimas lembranças que acumulamos. Sem dúvida, ao repassar as fotos faço uma viagem no tempo e nela sou acompanhado pela minha esposa.

Olhamos nosso filhos crianças, adolescentes e adultos. Vimos eles crescerem, se desenvolverem, escolher carreiras, dedicarem-se a elas, o que os tirou de casa, mas não da nossa vida, do nosso relacionamento, de convivência, de cumplicidade, da troca de ideias e de experiências.

Muitos reclamam dos dias de quarentena. É claro que preferiria não estar confinado, mas entendo a necessidade e o fato de estar em casa me proporcionou a oportunidade de, ao olhar antigas fotos, retomar as boas lembranças de dias que há tempos ficaram para trás, mas que continuam vivos na memória e que são doces de lembrar.

Compartilhe:

Twitter
Facebook
LinkedIn
Pinterest

Entre na conversa