CORPO HUMANO, UM VASTO CONDOMÍNIO

No corpo humano vive um microbioma com mais de 100 trilhões de bactérias, que são essenciais ao seu equilíbrio

Corpo humano, microbioma com trilhões de bactérias

O que você acha de vírus e bactérias? Antes de pensar no assunto saiba, com garantia da ciência, que neste exato momento mais de 100 trilhões estão vivendo no seu corpo, transformando-o em um vasto condomínio – um assunto já abordado em A vida em condomínio. O próprio corpo humano, de acordo com a ciência, cria as condições para que estes organismos microscópios, que não vemos, mas que nem por isso estão ausentes do nosso microbioma, cresçam e se expandam. O fato é que, sem sabermos ou sentirmos, eles estão trabalhando, colaborando ou ajudando no bom funcionamento do corpo humano.

O que me fez voltar à questão foi um longo artigo do professor Michael Pollan na revista do New York Times. Para quem não conhece, Pollan é um dos maiores especialistas em alimentação, com vários livros publicados sobre o assunto, mostrando o que devemos comer e como devemos comer para não só permanecermos saudáveis, mas para evitar a obesidade e outras doenças que infestam a humanidade. Pois bem, no artigo, ele discorre sobre a descoberta feita de que o seu corpo não era dele, somente, mas um condomínio para trilhões de outros “seres”, formando um bioma que é fundamental para o equilíbrio do nosso corpo.

Mas onde estão estes “bichinhos”. O sequenciamento genético de Pollan mostrou que elas estão por todo o corpo: na pela, na boca, no nariz, nos ouvidos, nos órgãos sexuais e internamente, nos intestinos e nas próprias células. Aparentemente – e esta é uma conclusão minha, pois Pollan não fala nela – o corpo humano não funcionaria sem o condomínio. Veja-se o caso da digestão, por exemplo. Sem as bactérias, teríamos dificuldades para digerir muito do que comemos. E o mesmo ocorre com outras funções.

O que a genética revela, por outro lado, é que este microbioma pode ser usado até como tratamento, pegando-se parte dele, em quem é saudável, e transferindo-o para quem tenha problemas. Existem experiências bem sucedidas neste campo, o que nos mostra como o “condomínio” é importante, mesmo quando por alguma disfunção ou desequilíbrio, acabamos tendo problemas, causados pelas bactérias que não são do “bem”. Sim, elas existem e também estão no nosso corpo, ficando à espera de que algo dê errado e com isso, entrarem em ação.

No final, por ser seu tema, Michael Pollan leva a questão para o lado da alimentação, mostrando como é importante comermos de maneira saudável, até para oferecer ao nosso microbioma o que ele precisa para manter o equilíbrio do corpo humano. Ao concluir, lembra que embora não conheçamos muito do funcionamento desse microbioma, conhecemos bastante dele, o que nos dá indicação do que fazer. E mais uma vez ressalta que um dos principais passos é a alimentação, fundamental para os seres humanos.

Depois de tudo, me diga: Como é que você está cuidando do seu condomínio?

Compartilhe o Post

Sobre o Autor

Contador de Histórias Reais, jornalista, especialista em texto, edição de livros, consultoria e assessoria de imprensa

Conversas

Sem conversas

Entre na conversa