UM NOVO MEIO DE LEITURA

Sou daqueles que gostam de ter sempre um livro ao lado. Só que se isso é possível em casa, no dia a dia é quase que impossível tê-los à mão, aproveitando uma espera ou o intervalo entre um e outro compromisso para dar uma “lidinha”, avançando no que se está lendo. E como a vida é feita de espera, a gente acaba perdendo ótimas oportunidades de colocar a leitura em dia, avançar no assunto que nos chama a atenção ou, mesmo, “matar” o tempo, ocupando-o em percorrer mais alguns páginas. E isso, se possível, nos livraria das revistas velhas e fora de época que parecem ser a tônica das recepções.

Bom, as coisas eram assim, mas estão mudando. E o responsável pela mudança é o telefone. Não o fixo, mas o celular. Hoje, ele em tantas coisas que, como muito bem lembra um amigo, você pode até usaá-lo para falar. Pois o celular, pelo menos os mais modernos, está nos proporcionando um novo meio de leitura. Tome-se, por exemplo, o caso do iPhone. Quem frequenta a App Store, a loja virtual voltada para o aparelho e com milhares de pequenos programas, acha aplicativos gratuitos que permitem baixar um ebook – livro eletrônico – e lê-lo na tela. Eu estou usando o Stanza, um desses programas gratuitos, que além de permitir a leitura, facilita a procura do livro desejado.

Com este novo tipo de leitura – que está se tornando um hábito – acabei por descobrir que, mesmo que o ebook que você quer não esteja preparado para o seu telefone existem outros programas que o convertem, permitindo que sejam lidos neste novo meio. É o caso Calibre, que também é grátis. Ele pega os livros em PDF ou em formato texto e o transforma, no caso do iPhone, no formato EPUB, permitindo que seja copiado do computador para o telefone. E lido. Existem outros e o Google está aí­ mesmo para ajudar a encontrá-los. E o melhor é que, normalmente, são de código livre, o que significa que poderá usá-los sem gastar um centavo. Afinal, já basta o preço do telefone, não é?

Ah, mas como fazer para encontrar os livros? Um dos primeiros lugares a se recorrer é o Projeto Gutemberg, que tem milhares e milhares de obras, inclusive uma boa seleção em português. Ele tem duas versões, uma em inglês e outra em português, o que facilita para quem não domina o idioma do Tio Sam. O Gutemberg, por trabalhar estritamente dentro da lei, só tem livros não mais submetidos aos direitos autorais ou, então, que tenham sido publicados com direitos abertos, como o Creative Commons. Mas nele, por exemplo, pode-se encontrar praticamente todos os clássicos, inclusive os brasileiros – neste caso em português.

Um outro repositório bem interessante é o Manybooks. A desvantagem é que, neste caso, o idioma é o inglês. Uma busca no Google sobre ebooks indicará uma série de site, inclusive aqueles em que é possível comprar os últimos lançamentos, pelo menos dos que são feitos nos Estados Unidos e em língua inglesa. É o caso do Fictionwise. Nela, O Símbolo Perdido (The Lost Symbol), o próximo livro de Dan Brown, que será lançado no dia 15 de setembro, já está sendo vendido a 9,99 dólares. Seguramente um preço menor do que o livro em papel, cuja edição inicial é encadernada e, por isso, bem mais caro. Você pode aproveitar – e eu já fiz isso – de livros cedidos pelas grandes editoras. Uma delas, a Harlequin, quem um bom número de livros grátis na sua versão em inglês.

Outra forma de ler bons livros de graça é procurando autores que os tenham liberado. E existem vários na rede. Um deles é especializado em livros de ficção científica, o Scifimatter. Nele, estão relacionados vários autores. Se você gosta do assunto e sabe inglês, experimente Eternity’s End, de Jeffrey Carver, que é um belo livro. Bem, aí­ estão algumas dicas, coletadas a partir do meu interesse em encontrar leitura para carregar no iPhone. No caso dos ebooks outros telefones, sobretudo os mais avançados, também oferecem a facilidade de se ler neles. E isso tem sido facilitado pelas telas maiores. Se quiserem tomar como base minha experiência, posso garantir que experimentei e gostei.

Compartilhe:

Twitter
Facebook
LinkedIn
Pinterest

8 Respostas

Entre na conversa