UM MUNDO TODO NOVO

Quando, ao fim da idade média, começou a prevalência da ciência, que deu uma explicação totalmente nova para o mundo e para as coisas que, antes, não eram explicadas, começou uma revolução e ela foi centrada toda no próprio homem. Foi a partir daí que a terra deixou de ser plana, passou a girar em torno do sol e que surgiram os vários planetas. A ciência começou a cobrir as lacunas do conhecimento humano, proporcionando um novo tipo de informação, desmistificando coisas, ampliando o universo humano. E proporcionou, ao lado disso, o nascimento de inúmeras novas profissões.

Em um mundo todo novo, também as profissões mudaram, exigindo novas habilidades, novos conhecimentos, criando novas especialidades. Mais de um milhar de anos se passaram e graças aos avanços lá começados estamos vivendo uma nova revolução, com a prevalência da informação e do conhecimento, que cria um novo ambiente, confirmando o que disse um famoso pesquisador franças ao afirmar que a única certeza que nos resta é que tudo muda. E hoje, com muita, muita rapidez. Neste novo mundo, necessitamos de novas profissões, especialidades que atendam a uma nova realidade, realinhando o conhecimento e tornando-o mais específico em determinadas áreas.

Algumas dessas novas profissões são derivações de antigas, mas tem um foco inteiramente novo, saindo do universo humano para o de outras espécies, como é o caso dos psicólogos de animais, de um modo geral, e mais especificamente de cães. São pessoas capazes de tratar, entender e explicar o comportamento de quem, dizem, é o melhor amigo do homem. Os fundadores da psicologia jamais pensariam que esta nova especialidade um dia nasceria. Mas se ela guarda um estreito vínculo com um ramo do conhecimento, o que dizer do vendedor de troco. Surpreso? É isso mesmo, o que o nome diz, alguém que se especializou em arranjar trocados e, arranjando-os, vender a quem deles precisa. Pois é a profissão existe.

E o que falar, por exemplo, do cliente oculto? São profissionais que, passando-se por clientes, testam os serviços de um determinado estabelecimento comercial. O intuito, aqui, é o de apurar como tudo está sendo feito e melhorar o que se faz. Mas pode ser usado, também, no outro sentido, de apontar falhas e fazer com os que as cometem sejam excluídos do ambiente de trabalho. Com certeza o trabalho do cliente oculto é melhor do que de uma estátua viva. Sim, isto está virando profissão e pode ser utilizada em uma vitrina, para expor uma roupa. Seguramente tem mais charme do que um simples manequim.

Podemos entrar, ainda, no ramo de aluguel. Nele, temos marido e mulher de aluguel. Não sei se fazem, de um e de outro lado, o serviço completo, mas pelo menos podem se passar por acompanhantes de pessoas que, não estando acompanhadas, querem se mostrar compromissadas. Neste mesmo sentido vem o amigo de aluguel, alguém a quem você paga para fingir que é o seu  melhor amigo, aquele que o acompanha desde criança. Estarão os tomadores deste serviço fugindo da solidão? O que acham? A mim parece evidente que sim. Afinal, pensar em pagar por um amigo é algo meio estranho.

Em um mundo onde o artificial ganha mais e mais espaço, os cabelos são muito valorizados. E é por isso que temos, atrelado ao seu uso, uma nova profissão: a de corretor de cabelos. Sim, é quem descobre os cabeludos – acho que, neste caso, são mais as cabeludas – e lhes apresenta a proposta: compro o seu cabelo. Ele é aparado e, então, revendido a quem trabalha com este tipo de produto, fornecendo cabelos para terceiros. Não sei se dá dinheiro, mas li que sim, já que há uma grande demanda para cabelos naturais para a produção de perucas. Dizem que o material sintético, por melhor que seja, não consegue reproduzir o natural, humano.

Vivemos correndo de um para o outro lado, cheios de tarefas, com coisas para fazer e sem tempo para realizá-la. Qual é, então, a solução? Podemos diminuir nosso ritmo, mas isso é bem mais difícil do que contratar um organizador pessoal, nada menos do que alguém que se especializou em organizar nossas coisas. Tem organizadores de guarda roupa, com consultoria sobre moda, e tem organizadores das outras coisas, O fato é que da nossa pressa, do encolhimento do nosso tempo, surgiu uma nova profissão. Com ela, podemos nos organizar sem maiores problemas, desde que tenhamos os recursos para contratar o organizador.

À medida que a mudança avança novas profissões surgirão. Algumas, como já observei, derivadas de existentes. E este é o caso do monitor de crianças. Não, não é uma babá ou um babá. É alguém que trabalha com várias crianças, acompanhando-as e vendo se tudo corre bem. Não age como animador e nem cuida pessoalmente delas, mas as, digamos assim, supervisiona, garantindo que estarão seguras e fazendo o que tem de fazer. Talvez aqui tenhamos a evolução da babá, daquela pessoa que tomava conta dos filhos de quem era mais abastado e tinha recursos para contratá-las.

No rol de coisas novas, que surgem todos os dias e a cada dia, estas novas profissões são, apenas, algumas das novidades. Quer uma prova? De uma passada pelos classificados de um jornal ou, então, por sites de classificados e veja o número de novos serviços oferecidos. A nova realidade cria novas necessidades e com elas vem novas ocupações. Pense bem. Na sua rotina diária que novas necessidades surgiram nos últimos tempos? E como você reagiria se descobrisse que existe uma profissão que a preenche? Afinal, se você sente necessidade de alguma coisa, provavelmente não será o único ou única a senti-la, não é mesmo?

Olhando a questão de outro ângulo e vendo as profissões estabelecidas, inclusive a sua, podemos perguntar: o que você gostaria de ser, profissionalmente falando? Está satisfeito ou não com a sua atual profissão? E por que mudaria? Do meu lado, confesso: Estou satisfeito, não mudaria. E digo mais, se tivesse de escolher, de novo, uma profissão, escolheria a que adotei. E você, faria o mesmo?

Compartilhe:

Twitter
Facebook
LinkedIn
Pinterest

7 Respostas

Entre na conversa