UM FUTURO TODO FLEX

andro1.jpg

Digam o que disserem, mas o preconceito contra quem é diferente é uma coisa marcante no Brasil. E isso se dá em todos os níveis, seja qual o grau de instrução. Como mostrou uma recente publicação de pesquisadores brasileiros, quem é menos educado é mais preconceituoso do que aqueles que tiveram acesso a uma melhor educação.

Nestes meios, o preconceito, muitas vezes, vem em forma de brincadeiras, apelando para o humor e destacando uma situação em que o objeto – da piada e do preconceito – aparecem. No meio masculino, um dos assuntos mais recorrentes é a questão da homossexualidade. Os gays – para usar um termo não muito politicamente correto – são visto, de um modo geral, como aberrações, que tem uma preferência que não é a normal.

Como os gays tem ganhado muita visibilidade, as questões que os envolve acabam se tornando temas de conversas nas mais variadas situações. Alguém comenta o resultado de uma parada do orgulho gay, outro que viu alguém nela e um terceiro acaba afirmando não entender como estas pessoas vivem. E ainda um quarto segmento faz associações de pessoas com os homossexuais. Os comentários são, sempre, casuais, mas não deixam, nunca, de embutir o preconceito e o estranhamento que todos temos diante do que é diferente.

Com ou sem preconceito é inegável que em algumas circunstâncias acabam surgindo comentários criativos, engraçados, que levam todos às gargalhadas. Foi o que aconteceu em um grupo de amigos, todos bem conservadores, durante uma reunião em que participava.

A certa altura, ao comentar a questão dos gays, um deles lembrou-se de uma pesquisa feita por um cientista italiano, dizendo que caminhamos, todos, para a androginia e para a possibilidade de assumir qualquer dos dois sexos. “Pois é”, afirmou um dos participantes, “como meu pai diz, daqui a pouco vai ser tudo flex”. O grupo veio abaixo, com sonoras gargalhadas.

Como eu disse, brincadeira ou não, o comentário é bem preconceituoso. São os machões dizendo que, para eles, não existe um outro caminho, mesmo que a ciência possa dizer o contrário. Afora isso, ficou uma bela tirada, usando-se um termo já consagrado para determinar o que pode ocorrer no futuro. E enquanto ele não chega, a discriminação vai continuar, embora ache que vai diminuir a cada dia.

DICA INTERESSANTE

Neste mundão de emails que recebemos – a maioria spam – sempre sobra alguns interessantes. E é o que me aconteceu hoje. Entre as dezenas de mensagens recebidas – trabalho, blog, amigos, etc. – um deles trouxe uma dica interessante.

O email veio do Álvaro, que tem um blog com o mesmo nome, e trazia um endereço, do sítio Consulta de Remédios. O que ele faz? Dá o preço médio de qualquer medicamento na sua cidade, indicando os genéricos e similares existentes. É uma ferramenta que pode lhe proporcionar economia. Confira!.

Compartilhe:

Twitter
Facebook
LinkedIn
Pinterest

12 Respostas

Entre na conversa