TRABALHAR FAZ MAL À SAÚDE

Eu já suspeitava, mas agora é oficial e cientifico: trabalhar pode fazer mal à  saúde. E não pensem que vai aqui um incentivo à  ociosidade, não. O que cientistas britânicos descobriram é que trabalhar de mais, além do horário, pode, sim, representar risco para a saúde. Em uma jornadeada estendida os riscos aumentam e a pesquisa, que envolveu mais de 10 mil trabalhadores da Grã-Bretanha, aponta que o risco de problemas cardíacos cresce 60% se comparado com quem cumpre um horário normal, sem extensão de tempo.

Então, vamos colocar o bonde nos trilhos: Não é que trabalhar faça mal. Mas trabalhar mais tempo do que o normal, sim. E como hoje todos nós vamos um pouco além do que pode ser chamado de “horário normal”, devemos ficar atentos. No caso dos pesquisadores, eles consideram horário normal sete horas por dia. O risco maior fica com quem trabalha trás horas além deste tempo, isto é, 10 horas por dia.

Uma das responsáveis pela pesquisa, a Dra. Marianna Virtanen disse: “A associação entre longas horas de trabalho e doenças coronarianas ocorre independentemente de fatores de risco que medimos no início do estudo, como fumar, estar acima do peso ou tendo colesterol alto”. Segundo ela, a pesquisa sugere uma ligação entre o tempo trabalhado há mais e o surgimento de doenças coronarianas, ressaltando que maiores estudos devem ser realizados e são necessários para determinar o tempo em que o risco mais aumenta.

Os pesquisadores não sabem, ainda, o porque do aumento dos riscos das doenças cardíacas, mas constataram que a extensão de jornada as provoca. O estudo começou em 1985 com mais de 10,3 mil trabalhadores com idades entre 35 e 55 anos. Com base nos controles feitos, os pesquisadores chegaram à  conclusão do aumento dos riscos e os associaram, sem comprovação científica, ao aumento da competição, agressividade no trabalho, competição e tensão.

Há, ainda, outros fatores envolvidos como depressão e ansiedade, a possibilidade de dormir menos ou não o tempo suficiente para o descanso e, também, a pressão alterada devido à  pressão do trabalho, o que não aparece nos exames médicos corriqueiros. Trabalhando mais do que o tempo normal, dizem os pesquisadores, as pessoas tendem a colocar de lado os seus próprios problemas, dando menor atenção à  saúde e, com isso, criando condições para o aparecimento das doenças coronarianas.

O que fica patente no final é que a pesquisa indica, claramente, que trabalhar – dependendo do tempo de trabalho – pode fazer mal à  saúde, criando condições de risco para tipos de doenças que podem afetar o trabalhador, sobretudo as relacionadas ao coração. Os números comprovam que quem trabalha menos tem menos problemas, o que recomenda se ater à  jornada normal, sem extensão do tempo e, com isso, fugindo-se da tensão adicional criada pela atividade laboral.

Pode parecer brincadeira, mas a pesquisa provou que não é: Trabalhar menos pode ajudar na saúde. Só não sei se nos ajuda financeiramente ou a nos manter financeiramente estáveis. (Via UCL News)

Compartilhe:

Twitter
Facebook
LinkedIn
Pinterest

6 Respostas

Entre na conversa