STRESS, AMIGOS E INFELICIDADE

Quanto você ganha? E quando ganha o seu colega de trabalho, o seu melhor amigo ou, mesmo, sua esposa, pai, mãe ou irmão? Fique tranquilo, pois não quero saber os seus rendimentos ou de seus amigos e familiares. A pergunta é retórica para introduzir um assunto que mexe com todos nós, que é o dinheiro.

Um estudo publicado pela Economic Journal, uma prestigiada revista acadêmica que trata de assuntos econômicos, afirma, com todas as letras, que todos nós queremos saber quanto os outros ganham, mas os que sabem, sobretudo os que ganham menos, se consideram inferiores àqueles que tem melhores rendimentos.

O estudo foi realizado na França, mas tomou por base 19 mil entrevistas feitas em 24 diferentes países da Europa. O que eles descobriram é que, deste total, 75% consideram importante comparar seus ganhos com o de outros. E quando descobriam que ganhavam menos, ficavam deprimidos. E o descontentamento é maior quando a comparação é feita na família. A constatação dos pesquisadores é que comparar salários traz a infelicidade.

Os pesquisadores descobriram, ainda, que quanto maior a importância que cada um dá à comparação de salários, mais baixos se consideram em relação aos níveis de satisfação com a vida e se sentem mais deprimidas. E isso ocorre, afirmam os cientistas, tanto com homens, quanto com mulheres. Não há diferença entre os dois. A comparação deixa ambos infelizes.

E tem mais: A pesquisa descobriu que quem vive em países mais pobres da Europa comparam mais seus salários do que os residentes em países mais ricos. Nestes países, repete-se a fórmula, com os mais pobres comparando mais seus salários que os mais ricos. No final, no entanto, tanto pobres quanto ricos ficam infelizes com a comparação. O que os diferencia é o grau de infelicidade, somente.

Ah! Agora você entendeu por que não quero saber o seu salário. Se você me disser, vou comparar com o meu e, fatalmente, vou ficar infeliz. Então, meu amigo, nada de saber os ganhos um dos outros.

Neste caso, parece que a pesquisa concorda com um velho ditado que afirma: A ignorância traz a felicidade. Será mesmo?

Compartilhe:

Twitter
Facebook
LinkedIn
Pinterest

2 Respostas

Entre na conversa