PENSAR NO PIOR AJUDA

Todos nós, de um ou de outro jeito, buscamos a felicidade, sobretudo nos relacionamentos que estabelecemos, começando pelos amorosos. Também buscamos a segurança, estabelecendo um ambiente que no deixem tranquilos e seguros. Só que, em tempos de necessidade, um parceiro inseguro pode estar nos fazendo um favor, ficando mais alerta a um possível perigo.

Tem dúvidas sobre isso? Eu também tinha antes de ler o resumo de um estudo feito por cientistas de Israel e publicado em um dos mais prestigiados jornais de psicologia. Segundo estes pesquisadores, a evolução nos moldou de forma que em um grupo tenhamos tanto gente segura, quanto insegura.

Quando há qualquer tipo de ameaça às relações pessoais, sobretudo às mais próximas – como no caso de um casal – as pessoas reagem de maneiras diferentes, de acordo com a sensação que tem de que o seu ambiente seja mais ou menos seguro. E aqui, alguns são mais ligados em “perigos” de todas as espécies.

Para o grupo de psicólogos, o “viver perigosamente” explica o porque de algumas pessoas terem relacionamentos não seguros e gostarem de um ambiente mais hostil. Isso os deixa mais afinados, mais atentos ao que está acontecendo e com melhor percepção do perigo. E este grupo, embora as pessoas gostem de segurança, representa quase metade da população, segundo o estudo.

Para testar a ideia inicial de que juntando pessoas seguras e inseguras é benéfico para a sobrevivência de ambos. Os cientistas juntaram em uma sala pessoas seguras e inseguras e simularam um incêndio, descobrindo que os inseguros reagem de forma muito mais rápida ao perigo do que quem é mais seguro.

Quem tem um ótimo relacionamento, formando casais estáveis, por exemplo, tem a tendência de ver o mundo como um lugar seguro. E isso leva a que ajam de modo positivo, pensando à frente, sem se permitirem pensamentos negativos. São, ainda, mais ligados aos grupos, a seus amigos e parceiros.

Os inseguros, por sua vez, operam em oposição a estes e uma de suas característica é o fato de tentar resolver, sozinhos, seus problemas, não os colocando para o grupo ou para o parceiro, fugindo de um padrão. A forma como agimos é decorrente da que fomos criados, se recebemos mais ou menos atenção dos pais, o que pode levar a uma maior ou menor confiança nos outros.

O final é que, ao contrário do que achávamos, a insegurança pode ser um benefício e ter do lado alguém que é inseguro pode, em tempos de perigos e de mudanças, nos ser benéfico, já que está mais antenado com o que acontece do que aqueles que, seguros, confiam que as coisas irão dar certo. Neste caso, pensar no pior ajuda. (via Live Science)

CAMPANHA DE COMENTÁRIOS

Um dos marcos da blogosfera é a participação, com conversas sendo estabelecidas através de comentários nos blogs que gostamos e que frequentamos. Muitos comentam, muitos não o fazem. E foi para estes últimos leitores, que nos visitam mas não participam das conversas, que o Blog das Gurias e o Sacola Phyna lançaram o movimento Comente Mais.

Soube da campanha pela Luma, do Luz de Luma, que é muito antenada no que ocorre na blogosfera e decidi aderir a ela. Na barra lateral está o selo da campanha. Se quiser também aderir é só clicar no selo que será redirecionada para o Blog das Guria, onde pode pegar o selo, colocando-o no seu blog.

Vamos participar, aumentando o número de conversas na blogosfera. No final, todos ganham.

Compartilhe:

Twitter
Facebook
LinkedIn
Pinterest

5 Respostas

Entre na conversa