PARECE INVENÇÃO, MAS NÃO É!

Sabe aquelas coisas que parecem mentira mas quando você vai conferir acaba descobrindo que são verdadeiras? Pois é, descobri alguns fatos que, à primeira vista, parecem ser invenção de alguém mas que, na verdade, são históricos, comprovados. Portanto, podemos dizer que são verdadeiros. Isso, no entanto, não tira deles o rótulo de serem, no mínimo, engraçados.

É o caso, por exemplo, de a Grã-Bretanha e suas colônias, no século XVII terem um ano de 354 dias, somente. É que o Governo britânico de então adotou o calendário Gregoriano ao invés do Juliano, que todos usavam e que têm, como sabemos, 365 dias. Com isso, os ingleses tinham 11 dias a menos no mês de setembro. Mais tarde, as coisas mudaram e os dias foram restituídos com a adoção do calendário juliano.

Outro caso? A guerra dos 100 anos, que colocou em choque a França contra outros países na verdade durou 116 anos. E foi nesta guerra que apareceu Joana D´Arc (na ilustração), que liderou os exércitos franceses à vitória contra os ingleses. Ela também é que determinou quem, na verdade, era o verdadeiro rei da França.

Veja mais alguns fatos curiosos, mas verdadeiros:

  • Os números arábicos, que todos nós usamos, não foram inventados pelos árabes, mas por matemáticos indianos. Eles foram modificados e transferidos para a parte árabe do Norte da África, de onde acabaram chegando à Europa e, depois, se transformaram em padrão.
  • Depois da Guerra Civil que colocou Norte contra o Sul nos Estados Unidos, de 33 a 50% de toda a moeda em circulação no país era falsificada.
  • Já na idade das luzes, em 1892 a Itália elevou a idade mínima das mulheres para o casamento para 12 anos de idade. Antes, o limite não existia.
  • A guerra mais curta de todos os tempos foi travada em 1896 entre Zanzibar e a Grã-Bretanha. Ela durou somente 45 minutos.
  • Apesar da natureza terrível do evento, o Grande Fogo, ocorrido em Londres em 1666, acabou por destruir mais de 13 mil diferentes casas, mas provocou a morte de apenas oito pessoas.
  • As primeiras toaletes públicas pagas foi criada por Vespasiano, em Roma, em 74 AD. Sem dinheiro para a guerra, ele encontrou uma maneira de conseguir recursos construindo as toaletes e cobrando pelo seu uso. Desta iniciativa é que surgiu o dito: Dinheiro não tem cheiro.
  • Daniel Boone, um dos mais populares caracteres do Velho Oeste – que realmente existiu – nunca, na verdade, usou aquele boné de pele de animal. Na verdade, ele detestava esse tipo de coisa e usava um chapéu de feltro.
  • O primeiro contraceptivo da história é do Egito antigo. As mulheres usavam um supositório vaginal feito de substâncias ácidas e lubrificado com mel ou óleo, evitando, com isso, a gravidez.
  • Na Segunda Guerra Mundial, as primeiras bombas lançadas pelos aliados sobre Berlim, a capital da Alemanha, acabou matando somente elefantes no zoo local.

Gostou? São interessantes, não é mesmo? Só que, se não as soubéssemos, isso não faria nenhuma diferença para o nosso conhecimento ou nossa vida. Podemos classificar as informações dentro do rótulo “cultura inútil”, mas podemos desfilá-las em uma conversa, mostrando quão letrados e informados somos, fazendo boa figura diante dos nossos conhecidos.

A história, mesmo a oficial, é cheia de fatos curiosos. Se a olharmos de perto veremos que muitas coisas poderiam ser classificadas como mito ou como invenções, mas aconteceram mesmo. É o caso da relação acima. E você, sabe de algum fato interessante que seja histórico? Conte-o aqui! (Via Listserve)

UMA PEQUENA MUDANÇA

Há algum tempo, desde que comecei a não escrever todos os dias, este blog – pelo menos é a regra – recebe três posts por semana, sempre às segundas, quartas e sextas-feiras. Foi um jeito que arranjei de conciliar o trabalho, que estava me assoberbando, com a manutenção do blog. Desde então, tenho dedicado menos atenção a este espaço, o que lamento. Mas o trabalho, aquele que fornece o leite das crianças, tem prioridade.

E é ainda em busca de uma adaptação a este ritmo de trabalho que estou, mais uma vez, mudando. A mudança é apenas de dias, com os artigos sendo publicados às terças, quintas e sábados. No final, o intervalo é o mesmo entre um e outro assunto falado. Com isso, espero ter mais tempo para o blog, dando-lhe uma maior atenção. Significa, ainda, que estou buscando a reativação das visitas, do intercâmbio, essencial para a blogosfera.

Compartilhe:

Twitter
Facebook
LinkedIn
Pinterest

8 Respostas

Entre na conversa