OS NOMES DAS MESMAS COISAS

Toda lí­ngua, todo idioma, tem algumas palavras que, dependendo do seu uso, podem significar várias coisas. E tem, também, coisas que são designadas por palavras diferentes, sejam por terem várias denominações, devido a dialetos e variações regionais da lí­ngua, ou por se lhes atribuí­rem nomes diversos, mas que no final significam as mesmas coisas. O que vem a propósito disso é, neste caso particular, a denominação que pessoas diferentes do meu relacionamento dão a uma atividade na qual estou engajado há algum tempo, que são os exercí­cios fí­sicos, feitos em uma academia próxima de onde moro.

Quando me refiro a esta prática, que adotei há algum tempo e que não pretendo deixar, digo sempre que estou indo à  academia ou, então, que vou malhar. Uso muito mais o primeiro que o segundo vocábulo, talvez por ser, em alguns aspectos, meio avesso à  gíria, sobretudo quando se referem a algumas atividades. Então, refiro-me, quase sempre, a “ir à  academia”. Não é assim, no entanto, que um amigo muito próximo, diz. Para ele – talvez relembrando os velhos tempos – o que eu faço é “ir à física”, claro que referindo-se à  atividade física, não  física como ciência. Nos dias que vou à academia, para ele são os meus dias de “física”.

Academia, malhar e física, no final, significam a mesma coisa. Todas compreendem o ato de se exercitar fisicamente, puxando alguns pesos e trabalhando músculos. Então, chamar a atividade por nomes diferentes não deveria chamar nenhuma atenção. São que, agora, aos três nomes juntou-se um quarto e ele veio da nutricionista que estou, dizendo assim, frequentando – consultando seria, acho, o termo mais correto. Pois, falando ou escrevendo, ela refere-se à mesma atividade como “treino”, o que implica que, pela manhã, tenho recomendação alimentar para antes e depois do treino.

Talvez seja mesmo treino um termo mais apropriado. Afinal, o que faço, no final, é mesmo treinar os músculos. Ou não será o próprio corpo. Não, se pensarmos melhor, podemos dizer que física se aplica melhor ao que faço, pois envolve, como todos sabemos, esforço fí­sico e, sem nenhuma dúvida, uma atividade física. O que acontece, na verdade, é que me divirto com os termos e os tenho usado para designar o que faço, que exemplifica bem a multiplicidade de significados para uma mesma atividade e mostra a riqueza da lí­ngua.

Mas sabem o que prefiro? Ainda dizer que vou à  academia.

Compartilhe:

Twitter
Facebook
LinkedIn
Pinterest

Entre na conversa