O QUE VAI ACONTECER AMANHÃ

Com uma vida finita e incrivelmente curta, se comparado com a permanência, por exemplo, do universo, nós seres humanos estamos sempre olhando adiante e tentando descobrir o que é que irá acontecer amanhã. E é para tornar este amanh㣠mais seguro que fazemos planos, planejamos, economizamos e, antes de tudo, trabalhamos. A ideia é que em um futuro todos estejamos aposentados e gozando a vida, pois a longo prazo, na verdade, estaremos todos mortos. Não só é inevitável, como faz parte da entropia.

O que buscamos, pelo menos em relação à vida pessoal, pode ou não nos trazer gratificações e a adivinhação – sim, porque, na verdade, é pura adivinhação – nos apontar para um caminho que julguemos mais seguros. Segurança, aliás, é o que se busca em um dos meios onde o dinheiro é tudo, que é a economia. E é nela, também, que as previsões futuras ocupam o proscênio e fazem o papel principal. Veja o caso das bolsas de valores, que sobem e descem de acordo com uma informação ou boato, mas que tem no que virá um dos seus principais componentes.

Agora, devido a crise mundial, estamos vivendo um momento de vidência – se é que a palavra existe – com vários “gurus” tentando adivinhar o que irá acontecer no futuro. Veja-se, como primeiro exemplo, o caso das previsões para o crescimento – ou a retomada do crescimento – da economia. As previsões são tão precisas que foram divididas em pessimistas, realistas e otimistas. Dependendo da categoria de enquadramento o resultado é diferente e podemos crescer pouco, crescer mais ou, mesmo, até ver a economia recuando. Quem está certo? Quem está errado?

A questão não é de se acertar ou errar, mas prende-se ao propósito que a previsão serve. Se for alguém do Governo a fazê-la, ela será sempre otimista. Se for a oposição, sempre pessimista. E os dois lados – além dos realistas, é claro – estarão baseados em fatos, números, bons argumentos. Vai crescer? Não vai? Sim, isso tem uma repercussão direta sobre nossas vidas. Mas não dá para acreditar em previsões, sobretudo nas econômicas. Nos últimos anos, aqui e alhures, o que temos visto são previsões que nunca se concretizam, mesmo sendo corrigidas mês a mês. A economia, neste caso, parece estar longe de ser uma ciência. Parece mais a figura das bruxas que tinham uma bola de cristal e, olhando-a, anteviam o futuro.

Se em tempos de normalidade não havia acertos, imagine em tempo de crise. O grau de adivinhação fica maior e o resultado, o acerto, bem mais difícil. E há um outro lado da questão: foi por acreditar em previsões, que asseguravam que tudo estava bem, que milhões de pessoas em todo o mundo perderam parte de suas economias. E alguns outros milhões serão afetados por uns poucos milhares terem seguido os adivinhos. Eles diziam que estava tudo bem. E não estava. E agora dizem que tudo está ruim? Será?

O fato é que, por mais acurados que sejam os números, por melhores que sejam os dados, eles falam, no máximo, do hoje. Normalmente, referem-se ao ontem. E o que aconteceu ontem e está acontecendo hoje não garantem o que irá acontecer amanhã Ninguém tem bola de cristal. E se a tiver, certamente ela não lhe ajudará a ver o futuro. Como dizia o meu avô “cautela e caldo de galinha não fazem mal a ninguém”, repetindo um ditado antigo. A máxima é perfeita para os dias de crise. Com cuidado, com cautela vamos fazer a travessia.

Evidentemente, não é a marolinha que o presidente Lula da Silva previu. Mas também não é uma hecatombe, como muitos dizem. Crise existe, é real, afeta a economia, afeta as pessoas. Esta é a realidade de hoje, afinal o ontem foi diferente. Mas como será o amanhã? Só saberemos quando ele chegar.

PROMOVENDO A AMIZADE E A INFORMAÇÃO

amizade

Os memes estão de volta e, como vocês já viram, fui pego por eles. Agora, nada que fale de juventude ou de pensar, mas que tem tudo a ver com a blogosfera e com os blogs, que são – no meu entender – formas de se conectar a outros, de criar amizades, de aproximar pessoas, mesmo estando muito longe. E tudo isso pode ser resumido no prêmio/tarefa que o Miguel – um ótimo amigo e excelente poeta – me passou. Dele recebi o selo ao lado, que destaca a amizade criada pelos blogs e também o fato de voltarem para a informação. Para mim, a indicação tem um significado especial, principalmente vindo de quem veio.

E como todo meme, este tem de seguir. E segui-lo significa indicar novos participantes, que são 10. Então, aqui vão eles: Meire, Geórgia, Lulu, Do, Luma, Jens, Grace Olson, Carla, Zeca e Crys. Todos eles, em todos os momentos da blogosfera, tem investido na amizade. E também na boa informação, que pode ser, ainda, diversão. Merecem ser visitados e merecem muito mais o selo. E ao ganhá-lo ficam com a tarefa de indicar outros 10 blogs, publicando o endereço de quem indicou, o selo e avisar aos indicados, fazendo o meme seguir adiante.

Tenho dito!

6 Respostas

Entre na conversa