O ANÚNCIO NA SUA MÃO

mao.jpg

A publicidade e os publicitários estão sempre procurando novos jeitos de chamar a nossa atenção para os produtos que as mais variadas empresas vendem. Na internet, nos jornais, nas revistas, na TV, na rua, no ônibus, no elevador, enfim, onde for possível, estamos vendo anúncios sejam eles institucionais, chamando a atenção para uma marca, um conceito, ou promovendo um determinado produto.

A situação chegou a tal ponto que é praticamente impossível você andar alguns metros sem que veja uma placa de publicidade ou um anúncio de produtos. Mas será que chegamos ao limite? A se acreditar na iniciativa de uma empresa dos Estados Unidos, a Handvertising, não. O que ela oferece, literalmente, é a colocação de publicidade nas mãos das pessoas.

Você, por exemplo, pode anunciar a Coca Cola, se é fã do refrigerante e, com isso, ao invés de gastar na sua compra, ganhar algum por mostrar a marca. A fórmula é simples: um carimbo, idêntico ao de parques que identifica quem entrou e saiu dele, com o anúncio escolhido. O eslogan da companhia é: Coloque seu anúncio onde não pode ser esquecido.

A empresa promete – pelo menos até agora – levar campanhas a todos os locais dos Estados Unidos, mas é focada naqueles que, de alguma forma, identificam quem o frequenta. Um exemplo? Um parque da Disney. Pelo que entendi, ao entrar nele você recebe um carimbo com a propaganda e ela pode ser diferente a cada dia. Há, neste caso, um acordo com os locais onde a publicidade será adotada.

E não, você usaria seu próprio corpo para anunciar algo? O que acha da ideia? Penso que ela é muito invasiva e, em princípio, não me submeteria a anunciar nada, mesmo que fosse fã do produto. (Via Matter/Anti-Matter, em inglês)

AINDA A BLOGAGEM PELA PAZ

Quem frequenta este blog sabe que tenho o hábito de responder todos os comentários por email, mas é uma prática que, pedindo desculpas, não vou adotar para a blogagem coletiva sobre a paz. E isso por uma razão simples: a quantidade de comentários foi enorme – o que foi muito bom – e a todos o que teria de dizer seria Muito Obrigado, o que estou fazendo aqui.

Embora tenha visitado todos os blogs relacionados no post do dia 01 de novembro – Paz sem voz, é medo -, fiquei com a sensação que participantes ficaram de fora. Se isso aconteceu e você é um dos que participou e não consta da relação, me desculpe. Deixe um comentário com o link do blog que faço o registro da participação.

Compartilhe:

Twitter
Facebook
LinkedIn
Pinterest

23 Respostas

Entre na conversa