Pesquisa mostra aumento da leitura de livros no Brasil

NÚMERO BOM E MUITO ANIMADOR

A minha paixão pela leitura começou muito cedo, lendo as revistas que minha mãe comprava e, depois, algumas publicações que eram destinadas às crianças, como o Almanaque do Tico Tico, de que ainda hoje tenho um exemplar. A partir daí, chegar aos livros foi um caminho natural. Ainda adolescente li alguns clássicos da literatura brasileira e outros grandes sucessos internacionais, como Êxodus, de Leon Uris, que fui reler e entender quando me tornei adulto. O mundo relatado por Uris, na primeira leitura, era pura fantasia para o garoto do interior, interessado em descobrir o que o mundo tinha, de verdade.

Desde então, nunca abandonei os livros e eles sempre estiveram do meu lado. Talvez por isso sempre achava desanimador o panorama de leitura no Brasil. Um país continental como o nosso, em determinada época, tinha menos livrarias que Buenos Aires, na Argentina. Hoje, pelo menos a se acreditar em pesquisa feita pelo IBOPE e recentemente divulgada, o panorama é bem outro. Segundo o Instituto, um em cada três brasileiros leu pelo menos um livro nos últimos 30 dias. Este, no entanto, não é o melhor da informação, pois a pesquisa constatou que 53% leem com frequência. O número, no meu entender, é muito bom e, ao mesmo tempo, muito animador.

Sempre que se fala em livros no Brasil, o que se diz é que, primeiro, é um produto caro e, depois, que o brasileiro lê pouco. Forma-se um circulo vicioso: lê-se pouco porque o livro é caro e ele é caro pelo baixo volume de leitura. Os números do IBOPE estão desmentindo esta velha percepção, mostrando – acredito que sejam corretos – que o Brasil mudou e, com ele, os brasileiros, com a leitura fazendo parte da rotina de muita gente. Quando se trata de leitura, a educação faz milagre e, embora ainda estejamos bem longo do necessário, o nível educacional no Brasil melhorou a partir do Governo Fernando Henrique Cardoso, não há¡ nenhuma dúvida em relação a isso.

Se o país não tem – como não tinha – um grande volume de livrarias, o que vemos em shoppings são que elas estão sempre cheias e uma das coisas animadoras que vejo são jovens procurando livros, comentando outros, dizendo que um é bom e o recomendando a outro colega. Tenho visto isto com frequência, já¡ que sou, também, um frequentador assíduo de livrarias. O que se pode questionar, no caso da leitura, é a qualidade dela. Se olharmos, o que é mais vendido – e, por conseguinte, pressupõe-se que mais lido – são os best-sellers, livros que muitas vezes estão associados a filmes, a sequências que fizeram sucesso, como Harry Poter.

Podemos, efetivamente, ter um problema de qualidade. Mas é animador, como já¡ afirmei, ver que o índice de leitura está¡ aumentando. Tomado o gosto – como aconteceu comigo – é muito difícil largar o hábito e, acho, o caminho natural é que se passe dos best-sellers para livros mais consistentes. Mais do que uma certeza, é uma esperança.

Compartilhe:

Twitter
Facebook
LinkedIn
Pinterest

2 Respostas

Entre na conversa