HOMENS SÃO MAIS BARATOS

Literalmente, segundo garante pesquisa feita por uma empresa capixaba, os homens custam, sobretudo quando jovens, muito menos do que as mulheres. Levantando uma série de itens de consumo, a empresa chegou a uma conclusão que me surpreendeu e mostrou que as mulheres gastam, por ano, trás vezes mais do que os homens. Poderíamos, então, dizer que não é que sejamos mais baratos, mas as mulheres que são muito mais caras. Mas o que leva a isso?

Primeiro, vamos situar a pesquisa. Ela envolveu jovens dos 12 aos 24 anos de ambos os sexos e procurou mostrar como é que eles consumiam em nove itens diferentes, indo da beleza aos calçados, passando pelos tênis e chegando aos cosméticos. Um primeiro dado que me chamou a atenção – e, confesso, nunca tinha notado – é que o rosa é mais caro que o azul. O primeiro é preferido pelas mulheres, diz a pesquisa e como tem uma procura maior, acaba custando mais do que a cor preferida dos homens. E assim são quase todas as categorias. A única inversão nos custos é para os tênis. Neste caso, os homens gastam muito mais do que as mulheres.

Comecemos pela beleza. A estimativa da pesquisa é que as mulheres gastam, em média, 350 reais mensais em salão de beleza. Cuidam do cabelo, das unhas e de outras partes do corpo e o fazem em frequência semanal. E o homem? Ele vai ao barbeiro uma vez por mês, corta o cabelo, alguns fazem as unhas e poucos avançam mais do que isso. Conclusão: o gasto masculino com beleza, comparado ao feminino, é mínimo. A disputa já começou desigual.

Você gosta de jóias? Homens e mulheres gostam, mas eles gastam 33% menos do que elas neste quesito. Esta, no entanto, não é a menor diferença entre os gastos de homens e mulheres. Ele está nos eletrônicos. Aqui, os meninos são apenas 20% mais baratos que as mulheres. Sim, quem resiste a um último gadget? Difícil. Mas a economia nos outros quesitos acaba permitindo que compre tudo quando é bugiganga eletrônica e ainda custe, no final, muito menos do que as meninas. E os maiores índices? A maior diferença, segundo a pesquisa, é nos calçados. Os homens gastam 91% menos do que as mulheres na sua aquisição.

A segunda maior diferença é para o vestuário, com 70% a menos nos gastos masculinos. E segundo a pesquisa não é que os homens gostem de andar mal arrumados, não. é que compram menos e suas roupas são mais baratas que as femininas. E a terceira maior diferente fica com os cosméticos. Parece – e os dados da pesquisa indicam isso – que a tal tendência de o homem se cuidar com cosméticos não chegou ao Brasil. No cômputo geral, eles gastam 83% menos do que as mulheres quando se trata de comprar cremes e afins. O volume de compras é ainda muito menor em outro setor: o de higiene. Aqui, a diferença é de 62,5% a favor dos meninos. Não, e não se trata de ficar sem tomar banhou ou se manter sujo, mas apenas de não adquirir uma série de produtos que as mulheres normalmente usam e que o homem, não.

Fechando o rol de despesas apurados, vem os óculos. Aqui, a diferença é de “apenas” 42%. Feitas as contas de todos os quesitos a pesquisa chegou a conclusão que, na faixa de idade pesquisada, as meninas gastam mais de R$ 13 mil anuais, enquanto os meninos nem chegam aos R$ 5 mil – na verdade, R$ 4,7 mil. Isso significa uma diferença de 63% em números redondos a favor dos meninos. Se os números forem mesmo verdadeiros e refletirem a realidade de consumo, os adolescentes e jovens levam quase trás anos para gastar o que uma menina gasta em apenas um. Se para pais isso não é uma boa notícia, para quem vende, é. Sabem que tem uma clientela cativa, disposta a gastar mais.

Pode ser que, como dizem os números – e acredito nisso – os homens gastem menos do que as mulheres. Mas todos nós gostamos de ver filhas, esposas, namoradas, amigas ou colegas bonitas, bem vestidas e bem cuidadas. O gasto pode ser grande, mas o deleite masculino é certo.

Compartilhe:

Twitter
Facebook
LinkedIn
Pinterest

5 Respostas

Entre na conversa