ESQUEÇA, LEMBRAR PRA QUE?

O que você lembra? O que esquece? O esquecer preocupa você? Pois saiba que lembrar e esquecer são processos naturais, que nós não comandamos, mas que fica a critério do nosso cérebor. E dizem os especialista que o esquecer tem uma função de nos ajudar, de evitar problema, de não nos deixar sobrecarregados. Esquecer faz bem. E se o lembrar às vezes dói, existem alguns exercícios que podem estimular o cérebro a armazenar informações: ler, mudar a rotina, fazer resumos, lembrar amigos da infância e seus rostos. Viram, este resumo tem um propósito. Mas não esquente se não se lembrar de algo que julga ou julgava importante, a memória não reflete o real, mas é uma reconstrução dele. Então, não esquente, mas lembre-se que na quarta-feira, dia 10, tem a blogagem coletiva sobre Direitos Humanos e você está convidado (a) a participar. E se possível, ajude na sua divulgação.

Todos os dias nossos sentidos são invadidos por milhões de informações que vem de todos os lados. Nosso cérebro trabalha com sensações, olfato, cheiro, visão, dor, alegria, tensão, relaxamento, stress, barulho, música, trabalho, conversa. Enfim, a cada hora estamos recebendo um grande volume de informação, a maioria delas sem a menor importância para nossas vidas, nosso trabalho, nosso lazer.

Imagine se nosso cérebro tivesse de armazenar tudo. E nós nos lembrássemos, depois, de tudo o que vimos, por que passamos. O que aconteceria? Ninguém saber responder. até porque, na vida real, não acontece assim. Na verdade, nós esquecemos a maior parte do que vemos, ouvimos ou sentimos. Os pesquisadores dizem que, nesse sentido, esquecer é parte fundamental da função cerebral e que, ao descartar informações, ele está nos fazendo um bem.

Não se lembra do nome do ator de um filme que você gostou? Não esquente. Provavelmente, seu cérebro não achou a informação tão relevante para guardá-la, descartando-a e armazenando uma outra em seu lugar. O cérebro, segundo alguns, funciona mais ou menos como nós próprios, que descartamos uma série de coisas. Nele, o que é descartado é parte da informação recebida. Uma parte é armazenada, guardada. Outra vai para o lixo, abrindo espaço para novas informações.

Se o esquecer é natural, o lembrar, nem tanto. E de acordo com entendidos existem certos exercí­cios que podem nos ajudar a lembrar. A leitura é um ótimo exercício. Ler sempre e com constância habitua o cérebro a determinadas informações e estimula o armazenamento de informação. Outra boa ação, dizem, é a mudança de rotina, como trocar o percurso para casa ou fazer coisas diferentes a cada dia. O cérebro precisa aprender o que é novo e isso o estimula a lembrar.

Fazer resumos, afirmam os especialistas, também ajudam. E eu que os fazia no blog sem saber disso. Achava que estava facilitando a leitura, chamando a atenção para o artigo do dia e nem sabia que, ao mesmo tempo, estava estimulando minha memória. Depois disso, ela terá mesmo ficado melhor? Vou esperar um tempo para responder. Enquanto isso, vou enumerar e tentar lembrar dos rostos dos meus amigos de infância.

Forçar a memória a recuperar a imagem dos destes nossos amigos é outra forma de estimular os neurônios. E, sabem, até pensei em fazer uma piada de loura, mas não acho que seja pertinente. Afinal, todos nós, em relação a um determinado assunto ou fato podemos ter, apenas, uma vaga lembrança, não uma memória verdadeira. Ah, e por falar em memória, outros especialistas afirmam que, na verdade, ela não reflete o real, mas é uma reconstituição do que se passou, com a incorporação do que você é e sente.

E tem mais, em se falando de lembranças e esquecimentos, a escolha é aleatória, mesmo que estimulemos o cérebro. Além do mais, elas fazer parte de nossas vidas, do que somos. Se queremos lembrar e esquecemos, devemos levar em conta que o cérebro está trabalhando a nosso favor. Depois disso, não mais vou me importar com o que esqueço. Garanto que não.

DIREITOS HUMANOS

E por falar em lembrança e esquecimento, não se esqueçam que na quarta-feira tem a blogagem coletiva sobre Direitos Humanos. A sua participação é importante, mas se você ajudar na sua divulgação ela se tornará ainda maior e mais importante.

E então, participe! E divulgue no seu blog.

Compartilhe:

Twitter
Facebook
LinkedIn
Pinterest

10 Respostas

Entre na conversa