Café com pernas, peculiaridade chilena, com atendestes em microvestidos

CAFÉ COM PERNAS, UMA PECULIARIDADE DO CHILE

Todos os lugares, por mais próximos de nós e por mais que o conheçamos, tem peculiaridades e elas, muitas vezes, só são notadas por quem é de fora. Aqui, no Espírito Santo temos uma série de expressões que só os “estrangeiros” notam, pois já fazem parte do nosso dia a dia e do linguajar que todos nós usamos. Quando vamos a outros lugares, principalmente a outros países, o que mais notamos não são as igualdades, mas as diferenças e é isso, no meu entender, que torna as viagens interessantes. Há pouco tempo, voltei ao Chile, especificamente a Santiago e a Valparaíso, encontrando cidades diferentes do que havia conhecido e com coisas que não tinha visto nas visitas anteriores.

A capital do Chile é, hoje, uma das mais importantes cidades da América Latina e nela se concentra quase um terço da população chilena, o que a torna, também, um importante centro econômico, do país e do Continente. Nela, o velho se mistura ao novo, ao mais moderno, e se tem, ao lado de belas paisagens, boa comida e diversão, para quem a procura. Nesta visita, uma das peculiaridades da cidade me chamou a atenção: a proliferação dos cafés. Pequenos, artesanais, de cadeia ou grandes e movimentados, eles estão em todos os lugares, das áreas mais comerciais e, por isso, mais movimentadas, aos bairros mais tranquilos, onde se pode andar e descansar em um deles.

Há, em relação aos cafés, uma peculiaridade que, segundo me disseram, é uma invenção do Chile: o café con piernas. Sim, é isso mesmo: café com pernas. Em que ele consiste. Inicialmente, em uma cafeteira, só que grande e sem lugar para se sentar. O maior atrativo deste tipo de casa, pelo menos inicialmente, eram as atendestes, todas do sexo feminino, bonitas e que usam microvestidos, mostrando ao público suas belas pernas.
Foi esta exibição que levou à denominação dos cafés que, é lógico, tem nomes comerciais, mas que todos conhecem como “café con piernas”. No centro de Santiago, principalmente nas ruas de pedestres, que são grandes centros comerciais e empresariais, eles estão em todos os lugares e quase sempre cheios.

Mas o que existe de tão especial nestes cafés? Pelo que observei deles, nada. O que os distingue são apenas as atendestes, com suas pernas à mostra, que formam um contraste com quem os usa ou aproveita, quase sempre vestidos de maneira mais formal e, no caso das mulheres, com o corpo menos à mostra. Andando pela cidade – pelo menos por onde andei – não se vê muitas chilenas em microvestidos ou em minissaias, daí, talvez, a atração dos cafés. Neles, se comparado ao que vemos em cidades brasileiras, sobretudo naquelas que tem praias, as moças até que não mostram tanto assim as pernas, mas como disso, cada lugar tem sua peculiaridade e esta foi uma que me chamou a atenção em Santiago.

A cidade, além dos cafés con piernas, como já disse, tem muitos outros cafés. E eles são sempre um ponto de pausa, uma parada nas caminhadas, na hora de fazer um lanche. Há, pelo que observei, uma cultura do café, vindo sobretudo da Colômbia e ao redor dele se reúnem jovens, executivos, e muitos outros, incluindo os turistas que ajudam a formar a paisagem humana da cidade. O café com pernas, neste caso, é apenas um ponto a ser observado. Existem muitos outros e, juntando tudo – locais histórias, modernos, vinhos, compras, etc. – o Chile, sobretudo Santiago, é um local que recomendo. Vale a pena uma visita.

Compartilhe:

Twitter
Facebook
LinkedIn
Pinterest

Entre na conversa