AS MORTES MAIS ESTRANHAS

mortesA morte não é um assunto muito popular. Todos nós, se pudermos, o evitamos. Talvez, como dizem especialistas, é que só morremos uma vez, o que o transforma em um fato único e gera uma grande incerteza do que vai acontecer – se é que acontece alguma coisa – depois. Por isso é que não tomamos conhecimento da estranheza de situações em que a morte ocorre.

Mas como dizem que na internet tem tudo, do melhor e do pior, do certo e do errado, do normal e do estranho, só para comprovar a assertiva vou trazer aqui alguns casos de morte que são, no mínimo, interessantes. Podemos classificá-los de… estranhas. Vamos a elas:

No meio da pequena Morte

Em fevereiro de 1899, o presidente franças Félix Faure convidou para o seu gabinete Marguerite Steinheil, uma beldade francesa e foi lá mesmo que foram aos finalmentes. Quando estavam chegando à pequena morte – orgasmo em franças – Faure teve, na verdade, uma grande morte. Ele teve um ataque cardíaco fatal no meio do orgasmo.

Após a queda do burro

Esta é um pouco mais velha, vem da Grécia, 200 anos antes de Cristo e envolve Crisipo, um dos mais influentes filósofos de sua época. Conta a lenda que ele cavalgava um burro, que havia sido embebedado e quis, no caminho, comer alguns figos. Imaginou a cena? O filósofo, aparentemente, a achou tão engraçada, mas tão engraçadas que desatou a rir, envergou-se, caiu do burro e morreu. Parece invenção. Mas não é.

Atingido por uma tartaruga

A história é de outro grego, que também foi famoso e é tido como o inventor da tragédia. Estamos falando de Ésquilo, que também foi filósofo e que escreveu várias peças ainda hoje encenadas. Pois não é que ele foi atingido por uma tartaruga e morreu. Como? É que na região havia muitas águias e a comida preferida delas eram as tartarugas. Ao levar sua refeição uma águia a deixou cair. Bum! atingiu direto Ésquilo e o matou.

Uma morte bastante suja

E já que estamos nos antigamente, vamos continuar lá e falar de Arius, um ateu que viveu nos primeiros anos do cristianismo. E, aqui pra nós, morrer do jeito em que morreu não é nada agradável. E pior, a história de sua estranha morte foi contada por um de seus adversários. É o seguinte: ao soltar gases, ele expeliu junto o próprio intestino e seus órgãos internos, o que causou sua morte. Verdade? Ninguém sabe. Mas ficou a história.

Com gangrena naquele lugar

Se a morte de Arius foi estranha, muito mais a de Herodes, um dos reis judeus que ajudou na construção do segundo templo de Jerusalém. Quem conta sua história é Flávio Josefus, um historiador da época. Diz que além de sofrer de insufiência respiratória, tinha urticárias, sofria com dores intestinais e era atacado por convulsões. Mas o que o matou, mesmo, foi a gangrena. E sabe onde? É, lá mesmo, na genitália.

Estranhas histórias, não? Você acredita que possam ser verdadeiras ou será que são somente intrigas, disse me disse que atravessou épocas e chegou até hoje? Eu, sinceramente não sei. Mas gostaria de saber sua opinião. Então, deixe um comentário.

2frases

E saindo do mundo estranho vamos a um mais comum. Como hoje é sexta-feira é o dia das frases. E para que todos, após saberem dos acontecimentos mortuários da antiguidade, possam refletir, aqui vão mais duas delas:

“O que você deixa para trás não é o que é gravado em pedra, mas o que é tecido nas vidas dos outros”. Péricles, filósofo grego

“O que vale na vida não é o ponto de partida e sim a caminhada. Caminhando e semeando, no fim terás o que colher”. Cora Coralina, poeta brasileira.

E que todos nós tenhamos um ótimo final de semana. Voltamos a nos ver na segunda-feira.

Compartilhe:

Twitter
Facebook
LinkedIn
Pinterest

19 Respostas

Entre na conversa