A SENSAÇÃO DE FANTASIA

midia01.jpg

Alguém já disse que uma imagem vale mais do que mil palavras, como também muitos já disseram da magia que a imagem, sobretudo no cinema e na televisão, criam sobre nós. Veja-se, por exemplo, o caso de um bom filme. Ele marca, nos remete a uma fantasia que nos transporta ao irreal e talvez seja exatamente por isso que nos prende.

Quando se trata de televisão, ela acaba exercendo um verdadeiro fascínio sobre quem a vê, sobretudo em alguns segmentos da população, que a acham mais glamurizada. Estar na TV é quase tudo e as pessoas fazem coisas incuráveis para aparecer. Veja-se, como comprovação, alguns programas da TV aberta, que pega pessoas nas ruas e as transformam em personagens.

Há os que dizem, em relação a TV aberta, que ela é medíocre, que só mostra o que é ruim, que fica muito próximo da base, não ajudando na difusão da cultura e tudo mais de ruim que esta mídia pode ter. De outro lado, os estudiosos mais críticos ressaltam que a televisão aberta é um dos poucos meios de entretenimento que os menos favorecidos economicamente têm. Até por ser de graça.

Mas como é que ela funciona, mesmo? Ouvindo um Diretor de TV – que não é, mas já foi global – vi uma interpretação que, no mínimo, é surpreendente e ela parte de duas coisas sempre presentes na televisão, que são as novelas e os programas policiais.

Segundo este diretor, nas novelas, a família se vê idealizada, e sonha em ser assim, ter uma bela casa, gozar das benesses que os personagens têm. É a idealização da vida que traz uma esperança de que o amanhã seja melhor do que o hoje.

E quanto aos programas policiais? Eles, segundo este diretor, fazem um outro papel: mostram um “mundo real” e, com isso, dizem as pessoas que, em casa, na frente da TV elas estão em segurança, não sendo sujeito da violência, presente em quase todos os lados. Assim, ao mesmo tempo em que idealiza a vida, a televisão tira o maior impacto do que ela tem de ruim.

Será que ele está certo? Confesso que não era uma coisa sobre a qual pensavam, mas acho que o raciocínio é lógico e pode ter fundamentação. E você, o que acha? A TV serve para idealizar ou para amortecer a realidade?

DE VOLTA À ATIVA

Na semana passada o blog ficou meio que no automático, como avisei. A partir de hoje, a vida volta ao normal, à rotina. Com isso, vou poder fazer o que sempre faço: interagir com os que, gentilmente, frequentam este espaço, sobretudo os que deixam comentários.

Que todos tenhamos uma ótima semana.

Tag: sem tag

15 Respostas

Entre na conversa