Conselhos para quem vai casar

por Lino Resende em 06/ago/2007

casam.jpgNão, nem pense que é brincadeira pois o assunto é sério. Tão sério que o jornal New York Times tratou dele e, para tanto, ouviu especialistas que acompanham casais e sabem das dificuldades que eles enfrentam no casamento. A partir daí, o jornal pergunta:

Qual o assunto mais difícil de conversar a dois? A resposta obtida foi que a grande maioria das pessoas falha na hora de perguntar ao parceiro detalhes básicos antes de trocar as alianças de casamento. O importante, aponta a matéria, é ter pelo menos uma visão clara do que pode acontecer quando a vida passar a ser a dois.

No artigo e baseado no conselho dos especialistas o The New York Times listou algumas questões básicas para as quais casais deveriam atentar antes de subirem ao altar. Confira!

  • Vocês já discutiram se pretendem ter filhos? Em caso afirmativo, quem estará mais disponível para tomar conta do bebê nos primeiros meses de seu desenvolvimento?
  • Há clareza na divisão das obrigações financeiras e os objetivos de cada um?
  • Já foi discutido como, quem e com que freqüência a casa será limpa? E quem será o responsável por gerenciar os funcionários da residência?
  • O casal já discutiu sobre sua saúde mental e física antes de passar para o estágio mais importante da relação: o casamento?
  • Os parceiros respondem às expectativas amorosas um do outro?
  • As preferências sexuais de cada um foram discutidas abertamente? Os medos e fantasias dos parceiros são conhecidos?
  • Vocês vão ter uma TV no quarto?
  • Os parceiros são bons ouvintes e realmente dão atenção às necessidades um do outro?
  • Vocês conhecem as crenças e a espiritualidade um do outro? Já discutiram como as crianças serão educadas religiosamente?
  • Vocês gostam e respeitam seus círculos de amigos?
  • Existe respeito à família de cada um? Até que ponto os pais vão interferir no casamento?
  • O casal já se perguntou sobre como a família de ambas as partes irrita um dos parceiros?
  • Já foi discutido o limite de cada um em relação à vida a dois?
  • Ambos estão preparados para mudar de cidade em caso de uma oferta de trabalho?
  • Os parceiros estão certos dos compromissos e obrigações de um casamento, mesmo diante das dificuldades que irão surgir?

E então, o que você acha? Antigamente não existiam todas essas preocupações. Mas com a vida moderna, que impõe um ritmo quase alucinante a todos nós, talvez seja mesmo sensato, antes de tomar uma importante decisão como casar-se, colocar todas as questões sobre a mesa, discutindo-as e deixando claro como vai ser o relacionamento.

Talvez assim os casamentos tornem-se mais duradouros e as pessoas, sabendo o que vão encontrar, sejam mais felizes. (Via Nud)

Related Posts with Thumbnails
Seja Social, Compartilhe!

{ 22 conversas }

SAM agosto 6, 2007 às 12:03 pm

A velocidade, hoje em dia, é tão vertiginosa que as relações começam e se aceleram de uma forma que chegam a um estágio que demanda estabilidade emocional conjunta e, muitas vezes, as pessoas se “esqueceram” (por aceleração, medo ou ignorância) abordar temas cruciais para uma vida a dois funcional…

Olhos de Mel agosto 6, 2007 às 3:01 pm

Lino, realmente são questões importantes, mas que ninguém se preocupa e saber, ou não lembra mesmo delas.
Que sua semana seja maravilhosa! Fique com Deus!
Bjs

Claudinha agosto 6, 2007 às 3:11 pm

Lino, eu acho muito legal este tipo de reflexão. Como orientação,porque na verdade as coisas são inesperadas. A paixão, fascinação têm muitaimportância nestas decisões. Acho sensato, um casamento adulto, uma união pensada. Pena que o que tem acontecido é um monte de casamentos de adolescentes, sem estrutura, crianças nascendo destas relações e estas são as mais prejudicadas. Por outro lado, a mulher moderna tem demorado mais a casar, por causa da consolidação de sua carreira profissional ou tem ficado sozinha por pensar demais assim e assustar a maioria dos homens inseguros que ainda são machistas. São os dois lados da moeda.
Beijos!

Lu Farias agosto 6, 2007 às 3:20 pm

rsrsrsrs… comecei o meu casamento meio às avessas, com filha a caminho. Mas o Vagner e eu nos conhecíamos um ano antes de namorar e sabíamos que tínhamos muito em comum.
A única coisa é que a gente nunca brigava nem discutia, NUNCA, e depois de algum tempo descobrimos que isso não era bem uma coisa legal, porque simplesmente deixávamos de falar o que nos incomodava um no outro. Aí um dia resolvemos tirar para falar… e a coisa durou mais de uma semana, HAHAHAHA…

Enfim, hoje em dia, antes de mais nada, somos grandes amigos, e essa é uma coisa que ajuda muito em nosso relacionamento. Em outubro, vamos para 13 anos, já… :-)))

Beijocas!!!

AH… Lino, você que sabe tudo de links, por acaso tem idéia de onde eu possa ir para mandar recado pro pessoal do google que não consigo entrar em nenhuma página do blogspot??? Estou ficando doida com isso… :-(((

Mais beijos…

laura agosto 6, 2007 às 4:54 pm

Certo, mas eu não acredito mto que a pessoas considerem estas questões, ainda mais, nós, os latinos. Se eu te contasse como foi meu ‘casamento’, caia pra trás.
bjs Laura

Nádia Amaro Bonani agosto 6, 2007 às 6:09 pm

OLÁ…
Passei para desejar uma linda semana e td de bom!
Adorei o post e conversar essas questões antes do casamento é legal pq evita brigas futuras. . .rs*
bjus*

DO agosto 6, 2007 às 6:56 pm

To com um problema em familia,LINO,que vai de encontro com a modernidade nas relações que vc colocou muito bem.
To chegando à conclusão que..é questão de tempo. Muito pouco tempo!!

Abração e uma otima semana!

marilia agosto 6, 2007 às 7:40 pm

Lino!!!!
Se eu já não tivesse me casado duas vezes, ao ler essa sua noticia/cronica, eu desistiria!!!!!
cara, realmente , casamento é muita responsabilidade…rsss
bjão

Mário agosto 6, 2007 às 7:48 pm

Lino, essas indagações são por demais oportunas e quem é casado ou teve a experiência de um casamento, percebe como essas questões simples, quando mal resolvidas, podem mesmo causar desentendimentos e frustrações futuras.

Concordo com você, nada melhor do que deixar tudo em pratos limpos antes do definitivo “sim”.

Abraços,
Mário.

Silvano Vilela agosto 6, 2007 às 8:53 pm

Hum, vou ter que pensar nisso e logo, estou entrando nessa nova fase, alias passei por ela uma época e não deu certo por vários motivos, inclusive alguns estão mencionados na relação. Vou falar mais claramente sobre isso, nós até conversamos sobre estas coisas, acho que temos mesmo é que ser claros e objetivos nas perguntas e respostas.

Tina agosto 6, 2007 às 8:59 pm

Oi Lino!

Xiiiii… quem pensa não casa! rs Mas os conselhos são interessantes. Vale arriscar antes, principalmente nessa época de divórcios tão constantes.

Passa no BM para ver porquê não consigo voltar à ativa… snif.

beijos querido e boa semana.

Ricardo Rayol agosto 6, 2007 às 9:54 pm

Sei lá, casamento é uma parada tão peculiar que cada casal deve procurar seu ajuste. E se fosse bom não precisaria de testemunhas (velhinha mas engraçada ehehehe)

Jens agosto 6, 2007 às 10:05 pm

Grande Lino:
Acho que isso é uma tentativa de racionalizar a paixão – o estado febril em que naturalmente os noivos se encontram antes de casar e o casamento tenta inutilmente perpetuar. Tem lógica, mas dúvido muito da eficácia sobre dois corações apaixonados.
***
Votei Cold Case na pesquisa. Como um personagem de Fitzgerald, sou um bote contra a corrente, impelido incessantemente para o passado.
Um abraço.

Jackie ;o) agosto 7, 2007 às 1:26 am

Olá Lino! Eu achei seu post totalmente interessante… algumas coisas ficam esquecidas e o casamento é feito tb dos “pormenores”… diálogo aberto é sempre muito bem vindo! Pena que a maioria descubra isso, qdo já se divorciou, tsc tsc! Bjokas!

Fina Flor agosto 7, 2007 às 2:01 am

Tô fora de casamento, Lino, rsrssrs*…. Logo, dessas listas, também, rsrsrs*

beijos, meu bom e boa semana

MM.

Flavia Sereia agosto 7, 2007 às 3:20 am

Olha eu gostei dessas questões, algumas devem ser usadas ate´mesmo para quem começa um namora, assim ninguém perde tempo e sofre com isso.

bjs

Gustavo agosto 7, 2007 às 10:59 am

Oi Lino.
É uma cartilha interessante, afinal qualquer um desses itens ja deve ter causado o fim de muitos casamentos.. e acima de tudo respeitar os limites e os defeitos do outro, né cara… afinal nao é pq surgiu o casamento que a esposa e o marido vao passar a ser pessoas perfeitas..

Lino, qdo deres uma passadinha no Pauta hoje tem uma citacao ao teu blog hj lá.. Preciso gravar um CD com músicas do Brasil para uma canadense e to convidado o pessoal pra me ajudar a escolher o repertório.

Maria Augusta agosto 7, 2007 às 12:42 pm

Lino, acho que raramente antes do casamento alguém pergunte estas coisas, no entanto tão importantes, parece que tudo vai se resolver par milagre. Depois, quando as zonas de atrito aparecem e são muitas vezes insoluveis é que se diz : “porque não pensei nisto antes?” Um abraço.

Vivien agosto 7, 2007 às 4:50 pm

Acho que eu e meu ex passaríamos nesse “teste”. O que não significa muito…porque atualmente, ele é “ex”.
Casamento é uma incógnita mesmo, não adianta.

Renata agosto 7, 2007 às 9:41 pm

Gostei Lino, quanto mais um souber do outro antes de casar melhor. Entretanto as coisas mudam depois do casamento e muito do que foi discutido em momento apaixonado acaba sendo bem diferente na prática. Entretanto não invalida a reflexão.

bjos

Simone agosto 8, 2007 às 3:43 pm

E isso ai Lino. Acho inclusive que deveria haver mais cursos para noivos com dicas como essas, porque quando se esta apaixonado passa-se por cima de tudo isso, e depois colhem as consequencias da falta de preparação.

Otima iniciativa.

Beijos

Cirilo Veloso agosto 13, 2007 às 4:42 pm

Eu li essa matéria no NYT e adorei. Muito bom você ter feito um post aqui sobre isso, pois muitas pessoas não a teriam lido. Abração, lino.

As conversas deste post estão encerradas.

{ 2 trackbacks }

Artigo anterior:

Próximo artigo: