Música pela internet: opções de escolhas e facilidade de ouvir

MÚSICA: DESCOBRINDO E OUVINDO NA INTERNET

Sou um adepto da música – e já disse isso, aqui neste espaço, algumas vezes. Desde há muito acostumei-me a trabalhar tendo sempre um bom fundo musical e repito isso quando estou lendo ou fazendo outras atividades. A exceção é quando estou no carro, dirigindo, quando mudo para as notícias na maioria das vezes, mas sempre sobra espaço para a boa música, venha ela de rádios ou de CDs – sim, eu ainda os uso. Graças ao interesse, ao longo dos anos acumulei um bom número de discos que cobrem vários gêneros, mas que hoje estão colocados de lado, graças à internet. Não se precisar exatamente quando, mas ela acabou se transformando no principal meio que uso para ouvir música.

A mudança do físico para o digital vem na esteira da própria revolução proporcionada pela tecnologia. No computador e em todos os dispositivos móveis existem centenas, milhares de aplicativos que proporcionam acesso à música, não importa o gênero, de que país seja ou tipo. Há para todos, agradando todos os gostos e preenchendo as necessidades de quem gosta de um determinado tipo ou gênero. E isso é ainda mais verdade quando se trata da plataforma da Apple, tanto nos computadores quanto nos dispositivos móveis – iPhone, iPod, iPad. Sei que também no mundo Windows há inúmeros meios, o mesmo ocorrendo na plataforma Androide, mas como não as uso, não posso falar delas.

Mas voltando ao foco. Hoje está mais fácil do que nunca ouvir músicas e descobrir novos talentos – cantores, cantoras, bandas, etc. Isso pode ser feito, por exemplo, através de sites como o LastFM – onde tenho uma conta e vocês podem ver o que ouço -, Shuffler.fm, Soundcloud, Grooveshark e muitos outros. A vantagem desses locais é que estão disponíveis para qualquer plataforma e apresentam combinações de gêneros, não se dedicando a um, de forma específica. Isso acaba facilitando o encontro do que busca e oferecendo diversidade na hora de ouvir. Além disso, proporcionam o descobrimento de novas músicas, de quem nunca se ouviu falar antes, principalmente no Shuffler e no Soundcloud. E o melhor é que você faz isso de graça.

Saindo do navegador e chegando aos dispositivos móveis, temos ainda mais opções, pois existem muitos aplicativos que não tem correspondentes para o seu navegador, mas que estão presentes nas mais diversas plataformas. Tenho alguns deles, como o Shuffler.fm, mas acrescento alguns aplicativos específicos de rádios – na verdade, centrais delas – que lhe permitem ouvir as mais variadas estações, indo do jazz ao samba e, deste, para a música da mais remota região do mundo, como é o caso da música dos tuaregues. Enfim, há um vasto universo e, nele, podemos escolher o que nos agrada, tanto em casa, quanto no trabalho ou em movimento, já que smartphones nos proporcionam isso.

Mas voltando às preferências. Hoje, no computador uso basicamente o iTunes, da Apple, e o Spotify, na sua versão gratuita. Nos dois casos, além de milhares de rádios – e no Spotify de playlists – tenho acesso à minha própria biblioteca de música, podendo mudar dela para o streaming online e, deste, para ela. Assim, sempre tenho opções do que ouvir, dependendo do que estou fazendo ou querendo. Pode ser música clássica – o que ocorreu quando estava escrevendo este texto – ou a mais estranha das músicas – pelo menos para o gosto geral.

Enfim, é isso. Se você já usa todos estes meios, ótimo. Se não os usa, experimente e pode descobrir que atende ao que busca. Neste caso, espero que aproveite.

A música dos tuaregues em um ritmo dançante, do agrado dos ocidentais

A ÓTIMA MÚSICA DOS TUAREGS

Quase todos nós já ouvimos falar dos tuaregues, principalmente através de filmes onde aparecem, na maioria das vezes, mostrando bravura e, com isso, criando uma imagem que, hoje, está longe de refletir o que são. Conforme a Wikipedia, os tuaregues são “um povo berbere constituído por pastores semi-nômades, agricultores e comerciantes”, o que no final não quer dizer muito sobre eles, nem revela o que na verdade estas pessoas – que dominaram as rotas das caravanas no deserto do Sahara – são.

O que pode revelar um pouco deles é a música e, a partir dela, a de um grupo em particular. Primeiro, uma história. Os tuaregues não tem vez nos vários países de onde são originários e, por isso, se transformaram em apátridas, vivendo em campos de refugiados e constantemente sendo movidos. No Máli, um dos países africanos, envolveram-se em uma guerra de independência, que não lhes trouxe, até agora, um país, mas que os transformou mais ainda em párias. É neste clima de separação e segregação que nasceu a música do Tinariwen.

<