UM NOVO MEIO DE SER INFIEL

A tecnologia sempre traz mudanças para as nossas vidas fazendo com que mudemos nossas ações e, até, nossos comportamentos. Ela afeta todos, uns mais, outros menos. Ninguém, no final, fica indiferente aos seus efeitos, que abrange todos os campos inclusive o do relacionamento pessoal. Veja-se, para este último exemplo, os sites de mídia social, onde criamos comunidades de amigos, trocamos experiências, mandamos e recebemos recados, participamos de brincadeiras e, no final do ano, fazemos o nosso amigo secreto, com sorteio virtual e distribuição de presentes, alguns virtuais, outros físicos, mas dados e recebidos a partir de um meio eletrônico.

Graças à virtualização da vida encontramos, se não ainda em grande quantidade, vários sites de relacionamento, de namoro e de troca de experiências. As coisas avançam e chegam até ao sexo, não só com o oferecimento de “parceiras”, mas para um envolvimento rápido com as já¡ consagradas “garotas de programas” – o nome atual para prostituição. A internet e a web estão aí. O Google disponibiliza as facilidades para se encontrar o que procura neste imenso palheiro da net, mas com ele é possível chegar a qualquer lugar. Tente, apenas como teste, a palavra “relacionamentos”. São mais de 120 mil locais diferentes referidos pelo Google. Se acrescentarmos o “amoroso” o número cai um pouco, mas ainda fica acima dos 100 mil.

Neste novo universo como ficam os relacionamentos pessoais, envolvendo um casal? Será¡ que estamos saindo da traição física, de proximidade, para a virtual, mediada pela tecnologia e feita sem que um, na verdade, conheça o outro? Que causas o relacionamento virtual pode gerar para a vida real? A questão é interessante, não é? E tudo pode começar pela curiosidade humana, que quer conhecer mais e mais, não sendo diferente no mundo virtual. Só que no caso de relacionamentos estáveis, a traição virtual pode dar lugar a consequências reais, como a perda da pensão, pela mulher, ou até indenização por danos morais.

Não fique surpreso, pois eu também não sabia disso até ler uma matéria publicada pelo jornal A Tribuna, de Vitória, que ouviu especialistas e mostrou que a traição virtual tem tanto efeito, inclusive o legal, de uma real, física, mesmo. E uma das consequências pode ser, no caso da mulher, da perda da pensão paga pelo ex-marido. Ela pode, também, gerar um processo por danos morais. O jornal cita um caso já¡ definido pela Justiça que deu à mulher este tipo de compensação pela traição, comprovada através da troca de emails entre seu ex e a “namorada virtual”. E há¡, ainda, o caso de um início de separação que não se concretizou porque, ao conhecer, a parceira virtual, o maridão desistiu. Ela era, segundo a matéria, muito feia, não tendo nada do seu perfil virtual. Não ria, é sério!

Para aqueles que querem dar uma “espiadinha”, mas não querem correr o risco, há¡ uma recomendação implícita na matéria: não façam isso do computador de casa, a que todos tem acesso. Se o tiver de fazer, use um computador com acesso por senha. A explicação é simples: você não pode invadir a conta de alguém para obter prova. Isso somente com autorização judicial. A prova obtida desse jeito não é lícita e, portanto, não vale na hora da discussão judicial. Neste caso, comprova-se a traição, mas nada se consegue do ponto de vista jurídico.

Ao contrário do que podemos inicialmente pensar, a questão é séria e tem afetado muita gente. Advogados de família reconhecem isso, mas certamente há uma grande área cinzenta que não é revelada, permitindo que maridos, mulheres, noivos, namorados e namoradas, deem um espiadinha. Isso configura uma traição? Pode ser motivo de separação? A resposta é positiva para as duas perguntas. O namoro virtual, o encontro virtual, que pode se transformar em físico, pode ser considerado, do ponto de vista jurídico, uma traição. E a legislação brasileira, pelo menos em relação aos casamentos formais, afirma que a fidelidade é uma obrigação mútua.

Então, se você gosta de dar uma “espiadinha” ou tem algum caso virtual, se cuide. A lei está¡ de olho em você e as consequências podem ser muito reais.

ENCONTRO DE BLOGUEIROS

Um lugar bacana, gente de todo o país e um assunto em pauta: Assim é o I Encontro de Blogueiros que o “camaradinha” Betho Sides está promovendo, e que começa no dia 12 de dezembro, em São Francisco do Sul, no belo Estado de Santa Catarina. Ficou interessado? Veja os detalhes no blog do Betho, que o está usando exclusivamente para divulgar o evento.

Encontros como este são uma ótima oportunidade de conhecer gente nova, trocar experiência, além da possibilidade de conhecer Santa Catarina, que como já¡ disse é um belo Estado e, principalmente, São Francisco do Sul, uma ilha no litoral catarinense, que é conhecida como “um sorriso de cidade”. É ou não uma bela oportunidade.

Fazendo eco ao Betho, todos estão convidados. E os detalhes de como participar estão no site do evento. Inicialmente, as inscrições irão até o dia 13 de novembro, mas se puder ir não deixe para a última hora. Vá lá, se inscreva e participe!

Compartilhe o Post

Sobre o Autor

Jornalista, blogueiro e curioso, sempre disposto a aprender.

Conversas (9)

  1. Luma :

    Lino, a intenção de trair é a mesma, por isso a lei ampara. Existe a expressão “trair em pensamento” e quem sabe, em um futuro, quando os nossos pensamentos passarem por uma tela, saindo do intelecto para o material, como serão punidos os maus pensamentos. Não estou apoiando quem traia, só me passou isto pela mente. Se a traição quebra os vínculos da confiança, tanto melhor que a lei seja pertinente, mas ó – se a mulher recebe ‘pensão’, não é porque o relacionamento acabou? Afinal, hoje em dia é difícil uma mulher que não trabalhe fora e se sustente, e as pensões, em geral, são para os filhos gerados pela união. Sei lá, viu? O mundo é masculino! Beijus,

  2. Fernando :

    Lino Resende agora é um «Blog Instigante». Um bom fim de semana

  3. Lulu on the sky :

    Ai Lino, vi tantos relacionamentos acabarem por causa de redes sociais. Triste isso.
    Big Beijos

  4. Magui :

    Eu ainda não captei totalmente a coisa. Não sei se alguém pode levar tanto a sério uma conversa, virar um caso na internet a ponto de ser ou poder ser considerado traição.Acho tão absurdo!

  5. Ângela Coelho :

    Lino! Passei para te conhecer pois estamos participando do amigo secreto da Meiroca.
    Acho que é uma traição, pois no momento que estás iniciando um relacionamento virtual, existe o pensamento de não ficar só na telinha. Mas não concordo com a perda da pensão, os filhos não tem culpa de nenhuma atitude da mãe. Ser separada e receber pensão não significa celibatario.
    Abraços.

  6. Rosa :

    Lino, eu sei de pelo menos um caso de separação por causa da internet de pessoas conhecidas. Isto pode acontecer, sim.

    Tu vais a este encontro de blogueiros? É um lugar muito bonito.
    Dia 12 estarei em Florianópolis para a comemoração dos 50 anos de formatura do meu marido.
    Bjim.

  7. Cris :

    Gente estou procurando um namorado me liguem. bjus Cris

  8. DO :

    Não sabia que a coisa virtual tbem era assim considerada,Lino.
    O que vai ter de confusão…

    Abraços!

  9. Grace Olsson :

    Lino, a traicao virtual já foi motivo de separacao, sim.Eu mesma, quando vivi ai no BRasil,participei de uma audiência em que a mulher nao só falou sobre of ato como mostrou provas.E um famoso do Brasil, teve a separacao homologada por que a esposa provou que ele fazia sexo virtual.
    Mas, veja bem…ACHO QUE, isso nao deveria ter nenhuma relacao com pensao. Uma vez que o casal já está separado.Mas, nesse sentido, entra o fato do ex pagar para a mulher viver.
    Acho isso tudo muito absurdo.
    Nao sou a favor da traicao.Acho que traicao nao deve ser algo para os er humano se deter, nao, por que tem coisas mais importantes que isso.E, uma vez, diante do problema, o casal deve sentar e DIZER: CAIAMOS FORA DA CANOA FURADA….
    Eu nao tenho a mínima preocupacao se meu marido me trai ou nao.
    E se ele me trair, eu nao sou de toda inocente..:E vice-versa.

    Bjs e dias felizes

Entre na Conversa

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *