PODE SER EM BRAILLE?

Com a publicidade no corpo, será que dá para lê-la em braille, com contato?

Leitura em braille e propaganda no corpo

Em um mundo mais e mais dominado pelo dinheiro e pelo ter, ao invés do ser, a cada dia vemos novos meios de se divulgar produtos, aproveitando-se as mais estranhas coisas para anunciá-los, indo muito além da propaganda convencional, feita em outdoors, anúncios de jornais, revistas, TVs e rádios. A internet tem sido um poderoso instrumento de divulgação de marcas e produtos, como é o caso da Apple cuja divulgação espontânea é qualquer coisa de espetacular.

Um dos meios não convencionais é o boca a boca, transformado de simples comentário e troca de informações entre amigos a um poderoso meio de propaganda. Afinal, dizem os especialistas, quando você recomenda alguma coisa, a recomendação ganha maior peso do que simplesmente veicular um anúncio, destacando as qualidades do produto. Neste caso, o outro lado também é verdadeiro, com a crí­tica fazendo muito mais efeito. Chanado em inglês de “word of mouth” – palavra da boca ou palavra dita – este tipo de divulgação tem se mostrado muito eficiente.

Memes, guerrilhas, anúncios, banners, ações promocionais, prêmios e vamos por aí afora quando se fala em divulgação com o objetivo de vender um determinado produto ou garantir visibilidade para uma marca. A mais nova iniciativa é a colocação de anúncio nas pernas das pessoas, não de todas, é claro, mas das mulheres, sobretudo, das mais novas. A novidade foi lançada no Japão e vem sendo usada com sucesso. Pouco abaixo da saia curta, na coxa, vem o anúncio, bem visí­vel quando se ainda e ainda mais visí­vel quando se está parado e, sobretudo, sentado.

É um passo a mais na transformação do corpo em espaço da economia. Se já carregamos marcas para todos os lados, mostrando nossa adesão a elas ou a um produto, agora, em um passo à  frente, teremos o próprio corpo como fonte do anúncio e venda de espaço. Quem se dispõe, ganha alguns trocados e as marcas aproveitam a atração das pernas femininas para se promoverem. O grupo Green Day já usou as coxas das japonesas para promover o seu mais novo disco. É um novo segmento publicitário que está surgindo.

Ao lado da novidade, tem sempre alguém criativo. Ao ler no BuzzFeed a informação do surgimento do novo meio, também li os comentários, vendo como é que os leitores reagiam à  informação. Foi ótimo ter feito isso, pois lá se tem uma mostra das reações, sendo que uma das melhores foi de um leitor que, diante do anúncio e das pernas femininas, simplesmente perguntou: Será que o anúncio pode ser em braille?

Certamente, não estava pensando nos cegos.

Compartilhe o Post

Sobre o Autor

Jornalista, blogueiro e curioso, sempre disposto a aprender.

Conversas (1)

  1. fernanda :

    teve gente do mundo da moda que já vendeu corpo pra tatuar grandes marcas, tipo chanel! misericórdia!

Entre na Conversa

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *