MODERNIDADE E AS NOVAS PROFISSÕES

Um dia, enquanto ainda estava nos primeiros anos da escola, meu pai sonhou com um emprego estável, onde eu pudesse fazer carreira. E estabilidade e carreira queriam dizer Banco do Brasil. É nele que queria me ver. Eu, não o atendi. Virei meio hippie, cabeludo, usando roupas coloridas e transformei-me, ao mesmo tempo, em jornalista.

Para ele, inicialmente, um horror. Era uma profissão da qual ele não havia ouvido falar ou não tinha muito conhecimento. Depois, acabou se orgulhando do que fazia, de como fazia. Mas aqui não é o espaço para a história da minha vida. O exemplo serve, no entanto, para chamar a atenção para uma nova mudança de paradigmas que estamos vivendo, o que leva à criação de novas profissões.

As mudanças no mundo estão fazendo com que novas ocupações, inimaginadas antes, surjam. É o caso, por exemplo, de psicólogo de animais, alguns até com foco mais nos cães, devido à sua multiplicação. Imagine só se há algum tempo alguém pensaria nisso? E o que falar do Vendedor de Troco. Não sabe? É alguém que consegue dinheiro trocado e o vende para um comerciante, facilitando sua vida.

Acho que eu gostaria de ser um cliente oculto, que é também uma nova profissão. É o tipo de atividade feita para testar se tudo vai bem, seja em uma loja ou em outro serviço. A experiência do “cliente oculto” ajuda na melhoria do atendimento. Não é o caso da estátua viva. Ele não ajuda a melhorar o atendimento, mas chama a atenção para uma loja. Afinal, é preciso muita disposição para ficar horas e horas quase que imóvel. Isto, definitivamente, não queria ser, não.

E entramos, então, na área de aluguel. Marido – não no verdadeiro termo – que faz os serviços do real marido, que é inexistente, não sabe ou não tem tempo para fazer. E, se você pensou bobagem, esqueça. Sexo, pelo menos em princípio, não está envolvido. Neste caso, a profissão é outra, e bem, bem antiga. Ainda no aluguel tem noivo e amigo. O primeiro, ensaia com a noiva, preparando-a para o grande dia. E o segundo, lhe faz companhia, fingindo que o conhece a séculos e sabe tudo de você.

Outra novidade é do corretor ou corretora de cabelo. É quem compra o cabelo das pessoas – daquelas, principalmente, que o tem muito grande – e depois o revendem. Ou o levam a alguém que faz a compra. Ela ou ele organiza as coisas, exatamente o que faz o Organizador Pessoal. Sim, parecido com treinador pessoa, estilista pessoal, etc. e tal. O organizador, organiza a sua vida pessoal, indo de suas coisas ao seu tempo.

Certamente estes não são os únicos novos tipos de trabalho. Com a mudança, novas profissões vão se tornando necessárias, afinal surgem novas tarefas que, muitas vezes, queremos delegar, passando para alguém que seja especialista. É claro que meu pai jamais sonhou com um organizador pessoal. Se alguém lhe dissesse que precisava de um, riria. Hoje, no entanto, com o tempo corrido e a multiplicidade de tarefas, não só há necessidade, como mercado para a nova profissão.

Bom, apesar de tudo, acho que não escolheria nenhuma delas. Refletindo sobre o que fiz, acho que caminharia, de novo, para onde fui, o jornalismo. Se ele tem futuro? Não sei dizer. Mas é uma bela profissão. Aliás, como todas as outras, pois quem faz a função meritória são as pessoas.

Compartilhe o Post

Sobre o Autor

Jornalista, blogueiro e curioso, sempre disposto a aprender.

Conversas (21)

  1. Yvonne :

    Lino, eu já fiz ao contrário de você. Deixei a vontade de ser professora e fui para o BB. Não me arrependo, porque acabei gostando da minha profissão, mas até hoje sinto uma certa nostalgia quando vejo crianças pequenas uniformizadas. Eu poderia ser a tia Yvonne. Parabéns por ter feito exatamente o que você quis. Minha filha faz jornalismo e eu gostei demais da opção dela.
    Beijocas

  2. georgia aegerter :

    Lino, fui professora e senti muita falta quando tive que deixá-la para vir para cá. Agora sou professora dos meus filhos. Acho que nunca deixei de sê-la, para ser bem sincera.
    Hoje em dia há tantos tipos de profissoes que até Deus duvida do que anda por ai…

    Abracos

  3. Nancy Moises :

    Eii querido amigo, já ta lá rs,
    vai lá vê..rsrs
    Um gde abraço

  4. Mario :

    Ah, é bem verdade. Uma nova safra de profissões está vindo com toda a força. Ainda mais agora com a falência absoluta do mercado formal de trabalho. É, meu amigo, adaptemo-nos.

  5. Cidão :

    Sou professor e se pudesse voltar ao passado, repensaria melhor a minha profissão. Gosto de lecionar mas se pudesse, eu a largaria no mesmo instante. O prazer que eu tinha já acabou há muito tempo.

    Abração, Lino!

  6. Cris :

    São os famosos nichos de mercado, Lino. Enquanto suprem necessidades de bens e serviços, tudo ok, mas suprir necessidades afetivas, tô fora…rsrsrs

    Beijão e parabéns pelo espaço, cada vez mais diversificado.

  7. elisabete cunha :

    O mercado hj está muito mais exigente!
    Afeto não faz parte do pacote!
    Tem que conquistar!

    BEIJOOOOOOOOOOO

  8. Alessandra :

    Pois é, Lino.O mercado para o jornalismo está cada dia mais inchado. É uma das profissões que mais forma gente por ano em relação ao número de vagas. Mas eu ainda gosto disso, e se tivesse que fazer outra faculdade, eu faria biologia. Saí por um tempo da sala de aula, 6 meses de descanso pra recuperar o tesão. Enquanto isso, vou fazendo algumas coisas que não fazia há anos: cursos, leituras, freelas.

  9. Carla :

    Uma vez li um texto que dizia que somos todos filhos do SE: se eu tivesse feito isso, se tivesse seguido aquele caminho… Mas, no fritar dos ovos, hoje temos tantas profissões doidas, como Personal Friend, Personal Stylist, e as tantas que você citou.
    No meu caso, fiz Letras e hoje faço Direito. Mas, cá entre nós, acho que me daria bem em Comunicações, viu?
    Bjo.

  10. Maria Augusta :

    Lino, sou pesquisadora e certamente não trocaria de profissão. A vantagem é que ela além da area científica na qual fiz carreira, pode ser aplicada a tudo, adoro também pesquisar sobre a história, sobre as artes e outras coisas. E ela não deixou de se atualizar, pois atualmente a Internet facilita a pesquisa em todos os domínios.
    Um abraço.

  11. DO :

    Bom,contrariando meu pai que me queria engenheiro,eu virei jornalista tbem,LINO. Só que pouco acabei exercendo,pois preferi ganhar mais,na época,trabalhando na empresa da familia.
    Hoje a empresa faliu e sou um jornalista sem experiencia.

    faz parte ,não é??

    Grande abraço!!

  12. Fê Resende :

    eu não sei quais eram as expectativas dos meus pais (rá!), mas virei personal stylist e se tudo der certo, eles super vão se orgulhar de mim logo logo! =)

  13. Bunda...... :

    Oiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

  14. Jéssica :

    Olá! Tenho 12 anos e de futuro gostaria ser veterinária.Fique sabendo que seu texto sobre a s profissões deu muito jeito para meu trabalho de grupo de Formação Cívica.

    Bgd
    Bjx

  15. raiane :

    oi tenho 14 anos no futuro quero ser advogada e tanbèm quero ser uma grande enpresaria de negòcios…………rsrsrs

  16. sabrina :

    oi tenho 14 anos no futuro quero ser veterinarimas para isso eu tanho que estudar muito…………….bj de sasa

  17. anny :

    oi,quem esta ai?

  18. Angel :

    Oiiii… faço Tecnico em Quimica Industrial, e, estou pensando mil vezes antes de encarar Engenharia Quimica, masnão seii… acho q pode ser aii…
    Mas, meu desejo é fazer Design Gráfico … pq gosto de desenho e arte visual (sites e tal …)
    Ohh duvida crueel…

  19. marcos :

    pessimo

Entre na Conversa

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *